Paula* é casada com um homem há mais de 10 anos. Há meses se deu conta de que não o ama mais e pensa em dar vazão a um desejo escondido há muito tempo: beijar uma mulher.

A vontade existia desde a adolescência, só faltava coragem. O fato de também se interessar por homens acabou ajudando no desejo dos pais. Casar e ter filhos. Fez tudo o que uma “mulher de família” poderia fazer. Não viveu uma mentira, ela realmente amou o marido. Mas o amor acabou e ela quer experimentar o desejo antigo de estar com alguém do mesmo sexo.

Diz que vai terminar o casamento, mas a coragem continua ausente. Não há motivos para julgá-la. Quem já casou sabe o quanto é difícil uma separação, ainda mais com filhos, ainda mais quando o próximo passo é se envolver com uma mulher e, quem sabe, se apaixonar?

O caso de Paula não é único. Diariamente, mulheres casadas, noivas ou com namorados me escrevem contando casos similares. Há quem esteja em um relacionamento apenas por aparência. Ou quem tenha descoberto o primeiro amor em uma mulher. Outras estão confusas porque não queriam sentir atração por homens e mulheres (ou apenas por mulheres). E muitas delas nunca falaram com ninguém sobre esse desejo. Com ninguém. Elas não conseguiram se abrir nem com a melhor amiga. Para entenderem o nível da situação, há mulheres que conseguiram escrever suas histórias só depois de um ano lendo o BlogSoubi. Elas não conseguiam nem escrever o que sentiam.

É difícil escrever, é difícil falar. Namorei homens e sempre tive desejo por mulheres, mas antes dos 25 anos nunca havia externado isso. Achei que guardaria esse segredo pelo resto da minha vida. Mas o meu namoro de longa data terminou e tive coragem para tentar. Fui tão além que hoje, aos 28 anos, sou casada com uma mulher.

Não foi fácil assumir esse sentimento dentro de mim. Foi um processo. É um processo. Ainda não falo sobre o assunto com todo mundo, apenas com quem confio. Estou vencendo isso aos poucos. O meu lema sempre foi não querer me expor. Muitas lésbicas e bissexuais têm o mesmo lema. Dia desses, uma delas me disse: “Se fossemos heterossexuais, sairíamos por aí dizendo isso?”. Não, não sairíamos. Mas também não teríamos o menor problema em dizer que somos casadas com um homem. Algum heterossexual esconde que é casado para não expor a intimidade?

Sabemos que não se trata apenas disso. Há o preconceito que poderá existir no âmbito corporativo. Há o medo de andar nas ruas e ser morto apenas por estar de mãos dadas com alguém do mesmo sexo. Há países em que você poderia ser presa. Há, muitas vezes, a pressão da família para não seguir adiante. Amigos podem deixar de ser “amigos”. E muita mulher pode pensar que você está dando em cima dela apenas por dizer oi – sim, tem gente que pensa desse jeito.

Respeite o seu processo de aceitação, mas não deixe que ele a limite a viver o que realmente gostaria. O primeiro passo para se livrar do próprio preconceito é conseguir falar com alguém sobre o assunto. É mais libertador do que você possa imaginar.

→ Você se considera bissexual? Não deixe de participar da enquete do BlogSoubi

Anúncios
comentários
  1. amanda disse:

    Acho engraçado a dificuldade que vocês, pessoas mais velhas tem em relação a isso. Eu tenho 16 anos, beijei uma menina pela 1a vez aos 13. Todos meus amigos sabem, não me importo. Não me importo com o que os outros vão pensar. É claro que se preservar é importante. Mas pra mim isso tudo é tão natural. É só o que eu sinto. Vocês deveriam tentar vencer isso,penas amem sem medo. Andem de mãos dadas. Beijem no cinema. Vivam.

    • blogsoubi disse:

      Amanda, você está completamente certa. E seus pais, como reagiram? Você já sofreu algum preconceito? Como reagiu? Abs e obrigada por nos dar uma lição de moral, rs.

      • Princess disse:

        🙂

      • amanda disse:

        Desculpa demorar tanto pra responder. Bom, os meus pais, não gostaram muito no começo. Tive que ouvir comentários desagradáveis e lições de moral. Mas passou. Eles me amam e se adaptaram. Minha mãe chamou minha namorada pra almoçar aqui sábado passado. Meus amigos são uns fofos supremos( nova geração haha). Quando você se aceita de verdade, acaba aguentando de cabeça erguida um palavrão, um olhar torto, uma agressão. Quando nos escondemos, acabando aceitando que aquilo que estamos fazendo é errado, anti-natural entende? Meu amor Não é errado. NÃO preciso esconde-lo.

    • clara disse:

      Você é de onde?

    • cla disse:

      Acho que te conheço ^^ o a garota tem o mesmo nome,idade e é do msm jeito q vc :D. Vc é de onde, só p tirar a minha dúvida ?!?!

    • cla disse:

      Amanda do blog sou bi, a pergunta é para a outra Amanda ^^

  2. Princess disse:

    Amanda, vc ainda tem um longo caminho pela frente…..
    Com 16 anos minha amiga TODOS ( tanto homem ou mulher) fazemos loucuras mesmo.
    Essa é a hora de ser porra louca, depois com o tempo e maturidade vc vai ver que não é tão fácil assim.
    Não é tão natural assim, até mesmo com seus amigos ( afinal devem ter sua faixa etária ) Hoje vc e eles acham normal ñ se importam. Daqui uns anos converse com esses mesmos amigos que não se importam hj pra ver a resposta.
    Enfim, curta sua juventude mesmo,e lembrasse o que eu disse:VC ESTÁ NA IDADE CERTA PRA SER A PORRA LOUCA.
    Depois passa essa fase por inúmeros motivos pode ter certeza….
    Boa sorte!

    • Dany disse:

      Ser “porra louca”, mas com responsabilidade. Não esqueçam de se proteger.

      • manusouzasite disse:

        E mais facil a aceitaçao eu acredito qdo se descobrimos cedo antes de pecorre o mundo dos heteros.
        Antes da familia ver vc com homem ver vc noiva quase casada e depois vc vira e fala sou lesbica….ai a batalha e dura!

        Queria eu ter me conhecido antes de me perde TUDO ia ser mais facil

  3. Patricia disse:

    Gente conheci esse blog tem pouco tempo e estou amando!! Queria pedir um conselho a vcs, foge um pouco do tópico mas vamos lá: Tem uma menina que trabalha próximo a mim, ela é lésbica assumida e tem quase um mês que não consigo tirar ela da minha cabeça. Tenho uma vontade enorme de chegar até ela e dizer como me sinto, mas não sei como pois nunca cheguei em uma mulher antes. Já fiquei com uma mulher antes, mas foi só uns amassos ( bem gostoso por sinal ). E agora não sei o que fazer, tô perdida. Mexe muito com minha cabeça isso tudo, pra todos eu sou considerada uma pegadora nata e de repente sinto esse desejo todo por ela. Aiii me ajudemm!!

  4. Heloisa disse:

    Realmente, a aceitação é algo bem difícil e, claro, muito diferente de pessoa para pessoa…
    Acredito que para as pessoas que sempre souberam da sua opção sexual, ou seja, aquelas que desde sempre já sabiam e sentiam que gostavam de pessoas do mesmo sexo tem um problema a menos para se preocupar… não que essa pessoa não terá nenhum obstáculo em sua vida, mas pelo menos terá um problema a menos…
    Digo isso porque venho vivendo uma situação muito complexa… sou noiva há muitos anos de um homem, e sempre fui muito feliz, tinha certeza de que casaria, enfim… porque realmente tinha tudo o que me completava…
    No entanto, faz uns três anos que me apaixonei perdidamente por uma professora, que depois tornou-se minha grande amiga…
    Consequentemente, todas as certezas que eu tinha ao lado dele se desfizeram como um castelo de areia diante de uma ventania… passei a me sentir infeliz e sempre com o sentimento de insatisfação… isto é, as prioridades mudaram, se antes eu queria estar com ele, agora, só queria estar com ela… se antes meus pensamentos eram dele, agora, não tem um minuto sequer que eu não pense nela…
    E é essa a minha constante agonia, meu relacionamento não vai nada bem (por esse e outros motivos, é claro)… e eu não sei se o que eu sinto é algo pontual (apenas por ela)… sei que se parece muito com amor o que eu sinto, mas como nunca fiquei com mulher, ainda preciso de algumas respostas… já li muito sobre o assunto, comecei a me interessar por filmes com temáticas lésbicas… tenho a certeza de que algo mudou dentro de mim e que eu não sou mais a mesma, definitivamente, não!!!
    Mas, apesar de saber que ela gosta muito de mim, pois temos uma amizade colorida… sinto que será muito difícil de irmos além, primeiramente, porque ela é casada com um homem também e, depois, não tenho certeza de que as ações dela são motivadas apenas por um “amor amigo”, ou se poderia ser algo a mais também… enfim, talvez nunca passe do plano das ideias…
    Dessa forma, venho cultivando a paciência, tentando me compreender melhor a cada dia, acreditando que com o tempo, eu consiga acertar as ideias em minha cabeça…
    Mas de uma coisa eu tenho certeza: preciso ficar um tempo sozinha para avaliar melhor toda essa situação… mas tenho consciência de que se eu fosse correspondida nesse sentimento e vontades,, eu me permitiria viver… pois antes de qualquer questão física, social… material… existe o amor, que simplesmente nasce em nossos corações e nos faz passar por situações inimagináveis…
    Assim é a vida, viver para aprender a viver…
    Beijos e obrigada pelos posts… sempre acompanho o Blog!!! E obrigada pela oportunidade de poder falar sobre nossos sentimentos… ajuda a refletirmos sobre todas essas questões, tão complexas, às vezes triste, mas que constituem a nossa história!!!

    • Rafaela disse:

      Oi Heloisa, fiquei encantada com as suas palavras, acho que é bem isso mesmo, só tenho umas dúvidas, como é a convivência de vocês, é diária? Você já manifestou de alguma forma que gosta dela, além de amizade?
      Você disse que vocês tem uma amizade colorida, como é isso?
      As minhas dúvidas são porquê já passei por uma situação parecida e não soube o que fazer, simplesmente passou, mas agora quero estar preparada para novas situações.
      Abraço

      • Heloisa disse:

        Olá, Rafaela!!!
        A nossa convivência é muito próxima, nos vemos sempre e trocamos mensagens quase todos os dias. A nossa relação já ultrapassou essa questão professor/aluno, pois somos muito amigas.
        Eu sou uma pessoa muito romântica, assim, já manifestei muitas vezes o quanto gosto dela e o quanto ela é importante para mim, mas sempre em tom de amizade, admiração e respeito…
        Em relação a esse sentimento mais profundo que eu tenho, já dei algumas indiretas, já dei rosas, chocolates, já mandei músicas… enfim, ela sempre gostou e sempre me correspondeu à altura, pois ela também sempre me elogia, sempre me dá presentes… e nós sempre fazemos questão de demonstrar o quanto uma é importante a vida da outra.
        Quanto a essas questões de “cor”… bem, apesar de termos 15 anos de diferença, nenhuma de nós duas é tão ingênua, ou seja, é perceptível quando há uma coisa diferente no ar, até porque, se você compara a forma como é com suas outras amigas, a diferença fica mais clara… nesse sentido, quando estamos juntas, parece que fica uma tensão entre nós, e quando estamos perto, uma da outra, nossos braços e pernas ficam se encostando… é uma coisa inevitável… mesmo que tenha outras pessoas, sempre damos um jeito para ficarmos bem perto… outro ponto, são as nossas mensagens, elas são muito carinhosas (é… usamos e abusamos dos emoticons de corações, carinhas apaixonadas… ), nos elogiamos muito e sempre estamos preocupadas com o bem estar uma da outra…
        Sei que tudo o que já construímos é muito especial, mas gostaria de viver algo a mais, principalmente, porque sinto que me faria extremamente feliz…
        Mas por não ter experiência nessas questões, as dúvidas acabam se multiplicando e, consequentemente, a insegurança acaba te impedindo de arriscar algo, ou de simplesmente abrir o jogo…
        bem, vou deixando as coisas acontecerem naturalmente…. acreditando que com o tempo, tudo se ajeite e cada coisa encontre o seu lugar!!! E mesmo que tudo isso um dia passe, levarei como um aprendizado e um grande amadurecimento, pois nessa vida, tudo é possível… e aquilo que não te mata, fortalece!!! rs…
        Um grande abraço!! Ah… gostaria de saber um pouquinho sobre a sua história também…

  5. Jeh disse:

    Oi, já acompanho o blog a muito tempo, mas, nunca tive coragem de comentar nada, só que agora to precisando meio que desabafar um pouquinho rsrs e se possível de uma ajudinha de como lidar com isso 🙂
    Bom… conheci uma menina na internet, e nos tornamos amiga, mas, não consigo parar de pensar nela, ela é inteligente, engraçada, tem a voz linda, e o sorriso mais bonito que já vi em toda a minha vida, ela é linda! Ela é perfeita( para mim), resumindo to apaixonada por ela.
    Mas, não sei o que fazer, ela tem namorada e eu sei que ela é apaixonada por ela.

  6. Jeh disse:

    Tenho 20 anos, namoro… namoro não

  7. Jeh disse:

    Alem de sorte, vou precisar ter muita coragem kkk
    Obrigada Manusouza ^^
    bjs

    • Silvana disse:

      Olá, em primeiro lugar quero dizer que gosto muito desse blog, os posts são muito interessantes, me fazem refletir, percebo que muito das minhas angústias não são apenas individuais e a troca de experiência é muito importante.

      Tenho 50 anos (apesar de aparentar bem menos rsrsrs), desde a adolescência sempre tive atração por mulheres, apesar de por muito tempo me considerar hétero. Minha primeira experiência sexual foi com uma amiga (e foi muito bom), mas considerei apenas como uma aventura. Depois disso namorei vários homens e me casei (com homens) três vezes, sendo que desses relacionamentos tive dois filhos. Durante esse período, entre uma relação e outra, tive alguns relacionamentos (inclusive sexuais) com mulheres, mas nada muito sério, talvez por eu mesma não querer assumir minha bissexualidade, fui sempre “empurrando com a barriga” e dando desculpas para não assumir. Os anos foram passando e cada vez mais fui percebendo que os homens não me faziam tão feliz quanto às mulheres, mas nunca falei isso para ninguém e isso foi me causando um grande sofrimento. Aos 39 anos meu último casamento (hétero) chegou ao fim, sinceramente para mim foi um alívio, pois definitivamente eu não sentia mais atração sexual pelo meu parceiro e nem por outros homens, cada vez mais me atraía somente por mulheres. Pelo fato de eu ter dois filhos, fiquei totalmente dentro do armário, sei que isso é uma bobagem, mas o fato é que não me assumi publicamente, talvez por eu não ter um relacionamento sério com ninguém, pois já me decidi, que o dia em que eu encontrar uma mulher que realmente queira assumir uma relação bacana comigo daí eu assumo, só que de lá para cá essa pessoa ainda não apareceu. Sou um pouco tímida para essas coisas, não frequento “guetos”, até porque sou uma pessoa pública e não posso ficar me expondo muito, mas gostaria muito de conhecer alguém. Vejo muitas pessoas falando em relacionamentos pela internet, mas sinceramente até hoje nunca encontrei um “bate-papo” que não fosse só baixaria, ou outros sites bacanas para conhecer alguém que eu não precisasse expor minha imagem publicamente. Alguém tem dicas? Resultado disso tudo: continuo sozinha, dentro do armário (pouquíssimas pessoas sabem que sou bi) e sofrendo muito com toda essa situação, quero me libertar, mas até agora não consegui…
      Bjus a todas

  8. manusouzasite disse:

    Ola tudo bem?
    De que lugar você é?
    Quem sabe posso te ajudar
    Bjus

  9. Natalia disse:

    Sinto o mesmo casada a vinte e tres anos e ainda não consigo aceitar a minha sexualidade .Tenho um casamento que é um fracasso porque só penso em mulheres, mas nunca deixei que alguma se desse conta disso porque tenho medo de ser rejeitada .Bjo

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s