No início, não há senso crítico

Publicado: 16 de fevereiro de 2014 em Bissexualidade feminina
Tags:, , , , , , , , , , , , , ,

MafaldaCom o tempo, a mulher aprende a selecionar melhor seus pretendentes. Na adolescência, ela geralmente escolhe os mais bonitinhos ou os mais populares do colégio.

Então ela aprende que a beleza ou a popularidade não são os mais importantes, apesar de algumas ainda insistirem nisso por muito tempo. Vamos aprendendo a olhar para os valores, o caráter, o modo de se portar, o papo e as atitudes. E com todos esses aprendizados, passamos a selecionar melhor (ou pelo menos deveríamos).

Só que em dado momento da vida descobrirmos o desejo por outras mulheres. E é como se voltássemos no tempo e tivéssemos que aprender tudo de novo. Nós simplesmente perdemos a capacidade de selecionar bem.

Aconteceu comigo e acontece com muitas das leitoras do BlogSoubi. Quando decidi que iria perder o medo de me relacionar com mulheres, recorri a todos os ambientes (virtuais e físicos) para atingir a esse objetivo.

No início foi um horror. Eu não ligava se a menina não tinha um papo tão envolvente ou se ela nem sabia o que falar. O meu único filtro inicialmente foi a beleza. Bastava ser um pouco bonitinha e pronto.

E a cada beijo com uma mulher (apenas) bonita, eu me sentia vazia. A sensação era ótima, a troca de beijos e olhares também, mas ficava nisso. Pensei em me envolver emocionalmente com algumas, mas não batia. Tinha perdido a capacidade de selecionar.

Cheguei até a me relacionar brevemente com uma pessoa comprometida, algo que ia totalmente contra os meus valores. Ela namorava uma outra mulher, inclusive. Eu nem tinha pensado que podia estar fazendo alguém que eu nunca vi sofrer. E tudo por um capricho, uma aventura e porque eu tinha perdido, de fato, o meu senso crítico. A empolgação é tamanha quando começamos a nos envolver com mulheres que só queremos ter a oportunidade de ter a experiência sem pensar muito nas consequências ou exigir os valores que já estamos acostumadas.

É o que vem acontecendo com uma leitora. Diana* tem quase 40 anos e sempre foi muito exigente com homens. Ela nunca tinha beijado uma mulher até conhecer Fabiana* em um bate-papo. Fabiana* é uma mulher com constantes atitudes infantis. Aquele tipo de pessoa que você só aguenta se o seu senso crítico ainda está em fase de desenvolvimento.

E por que Diana* suporta tudo isso? Porque ela quer se relacionar com uma mulher e Fabiana* foi a primeira que apareceu. Obviamente ela deve ter suas qualidades e minimamente um papo envolvente. Mas Diana* mesmo já admitiu que se ela fosse um homem, ele (ou ela no caso) nunca teria chances.

Por sermos mulheres, achamos que conhecemos muito bem a ala feminina. Não se enganem. Vocês verão que muitas vezes é até mais complicado. Alguns fatores vão nos fazendo enxergar melhor essas questões, a experiência é um deles. Você terá de sofrer, descobrir mentiras, perceber más intenções e até viver uma competição desnecessária. Sim, as bissexuais e lésbicas também competem entre si. Por insegurança, elas tentam deixar a outra por baixo para se autoafirmar.

Haja fôlego. É mesmo difícil selecionar – ou ajudar o nosso coração a fazer isso. E mesmo com a experiência, ainda estamos vulneráveis. A paixão não é racional e muitas vezes dribla o nosso senso crítico. É preciso muito amor próprio para fugir de alguém que não agrega nada a você. Esse é o primeiro passo para começar a retomar a sua memória seletiva.

*Os nomes são fictícios para não expor a intimidade da leitora

Você se considera bissexual? Não deixe de participar da enquete do BlogSoubi

Anúncios
comentários
  1. Joana disse:

    Interessante post Amanda =) Espero que estejas a ter um ótimo domingo =) No meu caso descobri a minha atracção por mulheres quando me interessei por aquela amiga de quem te falei por email mas só me envolvi pela primeira vez com uma mulher ( aquela de quem tb te falei) no ano passado. No caso dela, ela é muito bonita realmente, nao deu certo, agora vejo que nao tem muito a ver comigo mas na altura que eu me interessei por ela nem foi por tê-la achado atraente; comecei a interessar-me porque começámos a falar ao telefone; conhecemo-nos através de uma amiga e tinhamos alta conexão, falávamos 3, 4 horas ao telefone e eram conversas super interessantes.. foi assim que me interessei. Isso mas claro que admito que o facto dela me atrair e de ja estar aberta para ter a experiencia me levaram a pensar: ” Porque não?”.

    • blogsoubi disse:

      Obrigada, Joana! 🙂 Verdade o que você diz. Nem sempre a mulher é bonita. No caso dessa outra leitora, também não é a beleza que realmente a atraiu e sim o fato de ser uma mulher que a envolveu de alguma forma. No meu caso era beleza mesmo. Acho que é muito particular, né? Mas em todos esses casos talvez exista uma falta de filtro. Obviamente não podemos nos esquecer das mulheres que se apaixonam por amigas. Nesses casos, acredito que a seletividade seja ainda maior, considerando que são pessoas que elas já admiram pelos valores. É bom conseguir começar com uma boa dose de senso crítico. Só é ruim quando a paixão não é correspondida. Achei pertinente tratar a questão, que acontece com muitas mulheres, mas deixo claro que não é uma regra. Ainda bem. 🙂

      • Joana disse:

        Ah sim, sem dúvida. Mas o que disseste tem muita lógica sim que aconteça com muitas mulheres até porque sendo algo novo, uma experiência nova, sendo que muitas qd se dão conta da atracção por mulheres ainda têm medos, curiosidade de ver se realmente vão gostar do beijo, do envolvimento, se calhar elas próprias acabam por querer primeiro algo superficial como uma criança que tem o seu 1 beijo. Isto sou eu a especular claro mas é a minha opinião 🙂

      • blogsoubi disse:

        Joana, você tocou em um ponto incrível. No começo eu realmente só queria algo superficial mesmo. E acho que essa busca acaba sendo meio inconsciente. Acho que é o medo inicial de se envolver. É mais algo pra você dizer: beijei por curiosidade e não porque sou bissexual. Acho que era um preconceito comigo mesma. Ainda bem que consegui superar. Agora é tentar passar pelos outros processos de amadurecimento: o de falar naturalmente sobre o assunto com qualquer pessoa. Como foi pra você, Joana?

      • Joana disse:

        Humm não entendi bem a tua pergunta. Queres saber como foi para mim a sensação depois do primeiro beijo e do envolvimento físico ou falar do assunto com outras pessoas?

      • blogsoubi disse:

        Como foi o início da sua aceitação? Aliás, você já se aceita?

      • Joana disse:

        Ahh, aceito sim. Mas demorou um tempo sim. Eu descobri que gostava da minha amiga e demorei ainda um ano e tal para aceitar e creio que um ano ou meses para contar aos meus amigos. Tipo a amigos de internet eu contei mais cedo mas é aquela coisa, como são pessoas que não me conhecem pessoalmente eu sentia como se ” corresse menos riscos” de algum tipo de discriminação, sei la. Quando comecei a contar aos meus amigos próximos senti uma sensação de alívio como se agora sim finalmente eles conhecessem a verdadeira Joana. Mas há pessoas que ainda não contei, como os meus pais, mas sei que contarei, na altura certa. E caso eles algum dia me perguntem alguma coisa eu tb direi a verdade.
        Quanto aos meus pais acho que ainda nao lhes disse porque nao senti que fosse o momento. Se a relação tivesse dado certo com a mulher que eu estava eu teria contado, tenho certeza. Claro que poderia contar agora que sou bi mas eu sempre fui bem reservada no que toca a contar coisas dos meus relacionamentos amorosos aos meus pais, acho que so por isso que ainda nao contei.
        A nível de aceitação demorou sim, eu achava que devia estar a confundir sentimentos, que devia ser imaginação minha mas aí comecei a ter fantasias com ela, o desejo foi aumentado, foi todo um processo 🙂

  2. Dany disse:

    Olha eu sinto muito, mas NUNCA MAIS fico com alguém “fora dos meus padrões” de atração, pq é 10 vezes pior do que ser rejeitada por quem gostei inicialmente. Carência, falta de opções também são armadilhas fatídicas quando precisamos aparecer com alguém em público para que nossa reputação não fique sendo questionada. Achando que poderia dr chances a pessoas que demonstravam que ficariam comigo, constatei que são muito mais inseguras do que as pessoas top’s, alfas, que todos desejam (que são o oposto, mais seguras justamente por serem mais procuradas pelas pessoas, então, e não gostam de vc, logo deixam isso claro, não fingem gostar como os de ” energia baixa”), e ao contrário do que se pensa, não, elas não vão te valorizar mais por estarem à margem, de escanteio. Somente te usam pra se sentir mais fortes! Ficar sem chances é a pior cosia do mundo, vc só atrai gente que quer se aproveita de vc, por isso nunca dá certo, e sempre fica faltando algo, mesmo que eu goste, ou não gosto de nada, de jeito nenhum. Algumas delas não gostei do beijo, ou achei sem graça, não senti nada. Prefiro mesmo é ficar com quem me atrai de primeira. É coisa de feeling, sentimos quando alguém nos atrai, não só pela beleza externa, mas é algo inconsciente, pq além dessa beleza externa, tem algo a mais, que nó sabemos que essas pessoas nos farão felizes e são as certas pra nós. E depois, se não me dão chances, pq eu tenho que dar chance pra alguém? Para além de não ser a pessoa que sempre quis e sonhei, anda ser enganada e feita de besta? Não, desisto! Agora quem eu necessito é que aprenda a gostar de mim! Não é possível que eu não mereça ter ao meu lado quem mexe comigo e faz meu coração bater mais forte, como se eu fosse alguém insignificante, que só mereça pessoas sem nenhum conteúdo e pouco atraentes! Ficar com pessoas menos requisitadas ou não muito atraentes (acho que isso influencia em algumas atitudes negativas, o fato de eles/elas se sentirem de escanteio pela”sociedade” ou por seus alvos, e aí acaba sobrando pra quem eles conhecem depois 😦 nota-se que se tornam complexados, amargurados e odeiam a “humanidade” por serem largados, e ficam atrás de uma “presa” pra descontar tudo que passaram) pra mim não rendeu muitos frutos em nenhum dos dois lados, só me trouxe infelicidade, revolta e insatisfação, e eu me sentia PÉSSIMA depois até por descobrir algum “podre” da pessoa. Dá raiva pq além de vc não gostar tanto, ainda descobre coisas ruins, é pior, coisa que vc só toleraria vindo de alguém q gostou verdadeiramente., por isso tô boa disso, já tá mais que claro que não dá e nunca dará certo. Agora é minha vez de ficar com quem EU escolher, DETESTO ser escolhida!

    • blogsoubi disse:

      Dany, tudo bem? Na verdade, não quero dizer para escolher alguém que não te atraia, pelo contrário. A ideia é que possa ser sim alguém atraente, mas com conteúdo. Mas não escolher as pessoas apenas pela embalagem (por ser bonita ou por ser mulher). É não perder a nossa capacidade de selecionar. Pelo visto, você já teve muitas decepções. Talvez, essas experiências te ajudem a encontrar pessoas mais compatíveis com você. Mas tudo é muito complexo né. Minha esposa, por exemplo, eu acho mais bonita do que todas as outras, só que ela tem os valores que eu admiro e tinha deixado de procurar. Acho que é mais por aí. Mas você já ficou com alguem que não te atraía pelos valores? Conte mais sobre isso, Dany.

      • Dany disse:

        Mas é isso a´p! Eu não fico apenas pela beleza física, mas não vou negar que realmente depois de muita cabeçada, prefiro mesmo é quem me atrai em todos os sentidos, inclusive beleza física. Por exemplo, eu não me encaixaria com uma mulher muito grande pra mim, pois sou baixinha; as pessoas com quem fiquei sem atração, foi por pura falta de opção. Algumas até consegui sentir atração, mas pq já me lembrava outro amor não vivido…. mas foi péssimo, essa minha ex é um exemplo disso! Ela tem VÁRIAS coisas (valores) que eu não concordo! Primeiro que ela é MUITO quadrada, depois tem um gosto péssimo pra certas coisas! Ela era bifóbica, acha que só pode ficar com lady passiva por ser bofinho (mesmo curtindo outras bofinhos), alimenta preconceitos por conveniência (era relativa, mas prefere ser ativa, não aceita ser relativa), tenta ser o que não é, é depressiva, vitimista e gosta disso e não se respeita, além de torcer para um time onde a maioria dos torcedores são arrogantes, inclusive ela! Odiei! Seu eu soubesse dessas coisas, nem teria ficado com ela! Mas falta de opção é foda, desculpe o termo. Ela fez uma piada de mau gosto quando meu time perdeu do dela, só parou depois de eu dizer 3 vezes que não tava gostando. Depois que briguei muito com ela, me pediu desculpas e admitiu que era uma brincadeira tola. Mas a pior foi o jeito q ela me tratou quando tentei dizer que era bi. Alertei ela que devia ser mais flexivel, ela foi extremamente grossa, fria e hostil! Não, nunca mais, eu tenho meus motivos pra ter argumentos contra ficar com quem aparece e diz que gosta de vc, pois vc nunca sabe até onde e Se isso é verdade. Melhor é ficar com alguém que teu coração pede, mesmo que não dê certo, mesmo que demore pra conquistar, pq só essa pessoa te fará feliz, e mesmo que não dê certo, não rola arrependimentos, pq por mais que vc sofra por ela/ ele, vc GOSTOU/ESCOLHEU essa pessoa! Não deu certo com meu ex amigo, mas cheguei a ficar com ele e não me arrependo apesar de tudo, pq tenho certeza que era verdadeiro o que eu sentia por ele. Da mesma forma que se eu tivesse ficado com a outra menina que eu curti antes de a minha ex me procurar, teria certamente sentido o mesmo, e tudo que a minha ex fez, serviu pra reforçar a menina anterior no meu coração, pois tenho certeza q ela é o oposto da minha ex, e não teria criado esses tipos de conflitos desnecessários. Quando me atraí por ela (vamos chamá-la de Ká) não só pela beleza, mas acho que essa beleza externa dela exalava algo a mais de bom que eu instintivamente sabia que combinava muito mais comigo do que da “Na” (a ex). E logo q essa Na chegou em mim, acredite, senti uma coisa ruim, uma insatisfação, não gostei da forma como ela me abordou, senti ar de manipulação e me afastei dela, não queria ter “obrigação” de correspondê-la….devia ter mantido, não devia ter voltado atrás, talvez o mal-estar que senti tenha vindo de uma energia negativa dela, que s´p meu subconsciente percebeu, mas eu não entendi a tempo de evitar….mas enfim….nunca mais! E detalhe: sou negra, e prefiro brancas / brancos, curto contraste. Já beijei negra e negro, não curti muito, mas mesmo assim, com a menina foi um pouco melhor (fase da curiosidade em beijar uma boca de menina apenas). O 3º cara que fiquei também não era atraente e era meio racista. A ex foi a 3ª menina que fiquei, e era uma lésbica radical, femista e preconceituosa. A única negra por quem me senti atraída não me deu chance de nada. Acho que agora eu só mereço ser feliz com quem eu amo….deixo aqui um pouco dos versos da poesia que fiz: “não quero amor de migalhas, não quero prêmios de consolação, só quero a garota que amo, é dela meu coração” algo assim.

  3. Joana disse:

    Uma coisa que estive a pensar e me lembrei agora de comentar: Bom quanto à mulher com quem eu me envolvi realmente o que me atraiu nela não foi apenas a aparência dela ( ser muito bonita) mas sim a conversa e a nossa sintonia como eu falei no meu primeiro comentário ( e a conversa para mim é muitooo importante, nunca me apaixonei por ninguem com quem não tivesse essa sintonia ou se não achasse a pessoa inteligente;só o físico não dá) mas uma coisa vejo agora: o que me atraiu nela tb foi o facto de eu achá-la uma mulher toda bem resolvida ( ela é assumida), uma pessoa muito original. Qd começámos a sair faziamos sempre programas super diferentes, coisas que eu nunca fiz com ninguém, ela é uma pessoa diferente. Mas vendo bem e isso tb foi o que me desiludiu foi que em termos de valores realmente ela é muitoo diferente de mim, eu sou romântica e acredito em fidelidade, em ter um relacionamento com uma pessoa só ( seja homem ou mulher) e ela é muito volúvel, parece que se interessa muito facilmente, agora vejo que não é muito fiel e não se quer prender a ninguem.
    Ou seja, nao sei se me estou a explicar bem no que te quero dizer Amanda mas ela acaba de certa maneira por entrar num perfil que se fosse um homem se calhar eu não daria muitas hipóteses.
    Então no meu caso específico se calhar interessei-me por ela pelo todo, porque a conversa era muito envolvente, achei-a muito bonita, a gente dava-se muito bem, riamos muito, o envolvimento físico qd rolou tb foi muito bom e ela mostrou-me um mundo diferente, faziamos programas diferentes e estava a ter a minha primeira experiência com uma mulher, algo que eu já queria mas ainda não tinha acontecido. Agora quanto aos valores acho que durante um tempo não quis ver as diferenças até porque estava a gostar do que estava a viver com ela.
    Depois claro não deu certo porque não queriamos o mesmo.

  4. Erica disse:

    Hhahahahhahaha….haja filtrooooooooooooo….Sabe o que acho Amandinha? Que no início a empolgação é tanta que a gente quer pegar geral hahahahhaha…Ai ai..o que não se faz por uma barra de saia…

  5. Dany disse:

    Sem contar q não gostei do beijo nem do 2º cara e nem da 2ª menina que fiquei (advinha, não tinha ficado com quem eu queria e precisava e havia gostado de primeira….)

  6. Isabelle disse:

    Pois é, que coisa de louco isso!
    Me aconteceu uma coisa inusitada e essa falta de “senso crítico” explica muita coisa . Me assumi bissexual, pra mim mesma no começo desse ano, depois disso, só contei pro meu melhor amigo, ele reagiu super bem, o problema é que não sei como meus outros amigos vão receber a notícia. Ao mesmo tempo que quero tirar esse peso de mim o quanto antes, tenho muito medo das consequências, tanto, que não tenho nem coragem de ir em uma balada gay com medo de encontrar algum conhecido. Então, a tal da “falta de senso crítico” bateu na porta.
    Quando recomeçou as aulas na faculdade vi uma caloura de outro curso e de cara achei ela incrível. Ela não é nada masculina, mas de reparar um pouco e de ver as postagens dela no facebook dá pra perceber que ela é bi, ou lésbica. O nosso campus é pequeno, todo mundo conhece a cara de praticamente todo mundo. Eu vejo ela quase todos os dias, e às vezes ela me vê também. Não consigo evitar de olhar. Então, por força maior mandei uma mensagem em anônimo pra ela no tal do spotted dizendo que achei ela linda. O que aconteceu?! Ela respondeu: “Caramba! Quem é você pessoa? Venha falar comigo na terça, eu não mordo, venha ou ficarei chateada.” Entrei em pânico. Se fosse um cara seria muito mais fácil, mas e se meus amigos vissem? E as outras pessoas? Iam, de cara, saber que era eu que tinha mandado a mensagem. Não tinha outra razão pra eu ir falar com ela.
    Passei por ela na terça, ela me olhou, tinha se arrumado e cortado o cabelo, passado um pouco de maquiagem, quase nada, mas dava pra ver que de alguma forma, estava daquele jeito, diferente, por minha causa e eu não sabia o que fazer. Não falei com ela, mas penso nela o tempo todo, e comecei a ter uns ataques de paixonite adolescente que a anos não tinha. Fui naquela semana com a camiseta da nossa banda preferida. (sim, é a mesma). Fiz questão de me sentar bem na frente dela na entrada da faculdade, joguei o cabelo pra trás pra mostrar a estampa e fiquei olhando para um livro como se estivesse lendo. Um professor veio conversar comigo, o que chamou a atenção dela, ela me olhou, voltou a conversar com as amigas e bem rápido olhou pra minha camiseta e fez uma expressão de surpresa. Enquanto isso eu só olhava pra ela de canto de olho e não entendia bulhufas do que o professor estava falando. Enfim. O que está acontecendo: Estou completamente irracional e… apaixonada por alguém que eu nunca conversei! É insano! Com caras isso nunca aconteceria nos dias de hoje. Eu sou muito metódica e racional na questão “me apaixonar”. O fato é: Quero muito, e sei talvez tenha chances com ela, mas o campus é pequeno, se isso acontecer, não vou mais conseguir guardar segredo. Me dou bem com todo o pessoal e com os professores de lá, ajudo a fazer as coisas andarem e eles confiam em mim, e eu gosto disso. Tenho medo de tudo isso mudar, de que o preconceito feche as portas de algumas novas oportunidades profissionais. É quem eu sou, mas e se eles não aceitarem?
    O que alivia é que eu e ela somos da área das Artes é um campo que querendo ou não, permite mais aberturas. Tem bastante gays e casais gays por lá, o pessoal é bem cabeça aberta, as vezes até demais, mas, e se comigo eles não forem tão compreensivos assim? Preciso de sugestões. Não sei se estou pronta pra todo mundo saber disso de um dia pro outro…
    Vou falar com ela como quem não quer nada, mesmo sabendo que podem descobrir sobre mim? Como eu faço isso? Finjo que não sinto nada e tento investir em outra pessoa em outro lugar? Maldita “falta de senso crítico”, esqueci como se faz! Alguém me ajuda?!

    haha desde já, Obrigada!

    • blogsoubi disse:

      Isabelle, tudo bem? Por que você não diz a ela, pelo mesmo lugar que enviou a primeira mensagem, que você é uma mulher? Pergunte…e se eu fosse uma mulher, você ainda iria querer me conhecer? No seu caso, talvez não seja falta de senso crítico. Você simplesmente se apaixonou pelo pouco que conhece dela. Essas paixões são boas de sentir, mas ao mesmo tempo nos consumem muito, né? Agora, sobre a área de Artes acho que é bem comum as pessoas se assumirem, como você falou. Não vejo como isso poderia atrapalhar a sua carreira profissional. Se alguém não lhe contratar porque você gosta de mulher, será que essa é a empresa certa para se trabalhar? Aliás, isso vale um post. Vou fazer. 🙂 Espero ter ajudado um pouquinho. Bjs!!

      • Isabelle disse:

        Tudo bem, e contigo? Poxa, ajudou sim! Obrigada! haha
        Não tinha pensado em mandar outra mensagem pra ela por lá, mas o problema que se manda em anônimo, mas todo mundo vê e todo mundo quer saber quem mandou. Talvez, se eu perguntar se mesmo mulher ela quer me conhecer, ela não responda sinceramente por receio de todo mundo ver, não sei o quão assumida, ou não, ela é… Mas talvez valha o risco!
        Essa parte da carreira profissional, nossa, é muito verdade! Me deixou mais segura, com certeza. Será um post muito interessante!
        O que mais me preocupa com relação a isso é que eu sou a “diretora” em um pequena empresa dentro da Universidade. Teoricamente, sou a imagem dela, dentro e fora do Campus. Tenho medo de que se todo mundo descobrir sobre minha orientação isso afete a minha relação com a minha equipe, ou mesmo da nossa empresa com as outras empresas parceiras. É algo maior que eu que não quero prejudicar. Um medo exagerado, provavelmente não vai ser tudo isso, mas eu tenho. Me escolheram para o cargo porque acharam que eu seria uma boa representante e uma boa imagem, se eu de repente disser que minha imagem é outra… Não sei até que ponto uma paixão irracional (pleonasmo) vale a pena pra colocar tudo isso em jogo, mas ao mesmo tempo, essa “paixão” é só uma amostra grátis do que eu realmente sou… Não vai dar pra guardar muito mais né? Cedo ou tarde virá a tona. Talvez eu devesse marcar uma reunião, contar pra minha equipe, dizer que não queria manter esse “segredo” longe deles, e que minha relação com eles no trabalho não vai mudar, e se depender de mim, nem a nossa amizade. Se eles disserem que por ser assim não sou mais uma boa imagem, discutimos a respeito, desmoldamos o preconceito e vemos onde vai dar. Talvez essa paixonite seja pra me abrir a cabeça do que realmente precisa ser feito…
        Obrigada por me responder, me deu muito mais clareza pra pensar!
        Bjs!

  7. Joana disse:

    Oi Isabelle! Tudo bem?
    Estive a ler a tua história. Não sabia que nesse chat tudo que responderes é lido por toda a gente, isso é chato. Eu pensei que podias sim responder que és uma mulher para veres a reacção dela.
    Tu achas que ela é assumida? Eu pergunto porque se ela não for ela pode se fechar um pouco qd responderes que es mulher e ter receio de dar muita bandeira pelo chat, mas é uma opção sim.
    Acho que poderias fazer isso ou então enviar-lhe uma mensagem privada no face cela. Aí só ela que lê e voces poderiam combinar encontrar-se foram do campus ne?
    Daí tb estavas mais à vontade inicialmente quanto a essa situação das outras pessoas se verem..
    Numa fase posterior se voces vierem a ter alguma coisa tb nao precisam de dizer logo a toda a gente, é algo que poderá acontecer aos poucos.
    Acho bom estares numa área de Artes porque realmente as pessoas sao sempre muito mais open mind e não acredito que te vão discriminar mas acho que só deves contar quando e se te sentires preparada.
    Boa sorte 🙂 Fico a aguardar novos capítulos da tua história ehehe.
    Beijinho

    • Isabelle disse:

      Oi Joana! Tudo bem, e contigo?
      Ah, obrigada por ler e responder (:
      Então, eu tenho a sensação que ela é assumida. Quando a Ellen Page revelou ser gay ela postou um cometário comemorando a atitude, também já compartilhou um cartaz de um filme do gênero e vídeos contra homofobia. Não dá pra ter certeza se baseando só por isso, mas aumenta as chances.
      Ainda estou meio em dúvida se mando outra mensagem em anônimo ou se vou falar direto com ela, nem que seja só pra puxar um assunto qualquer e tocar nesse outro aos poucos. Acho que vou escolher a segunda opção, só preciso criar coragem antes! haha
      Obrigada mais uma vez! Quando eu tiver novidades interessantes eu coloco aqui!
      Bjs

  8. Rah disse:

    Oi, Isabelle. Td certo?
    Bom, acho também que o melhor mesmo seria vc falar direto com ela. Tentar puxar um papo à toa e aos poucos criar uma “amizade”. Até porque, esse será o melhor jeito para vc conhecê-la melhor.
    Boa sorte! 😉

  9. Isabelle disse:

    Oi! Voltei pra agradecer! haha
    Estava achando que podia perder alguma coisa de ir conversar com ela, mas na verdade estava perdendo por não ir falar… Obrigada por me incentivarem!
    Criei coragem, mandei um “Oi!” por facebook, mas não tinha um assunto. Achei que a conversa ia morrer logo, mas ela começou a puxar papo e ficamos algumas horas conversando. Desde então temos conversado direto, seja na faculdade ou por facebook mesmo. Normalmente ela é quem vem falar comigo porque ainda estou com alguns bloqueios, mas, mesmo ela tomando a iniciativa, eu ainda não tenho certeza se está interessada em mim. Ela é simpática e extrovertida com todo mundo, e apesar de me tratar ainda um pouquinho diferente, acho melhor eu não criar muitas expectativas e esperar o rumo das coisas. Mas, nem que seja pra tê-la só como amiga, já valeu a pena. Temos muito em comum e me sinto à vontade para falar e estar com ela. Apesar de eu ainda não ter completa certeza sobre ela em si, a maioria dos amigos e amigas dela são gays. e passar um tempinho com eles me fez sentir mais segura de mim mesma e me deixou com menos medo. Parece que agora, se meus colegas descobrissem que sou bissexual não ficaria mais tão acanhada, agora tenho um cantinho pra correr, sabe? haha
    Mais uma vez, obrigada!! Não teria tido coragem se não fosse pela ajuda de vocês (:

    Abraços!

  10. Joana disse:

    Oi Isabelle!
    Tudo bem?
    Ai que bom, que boas noticias. Fico bem contente por ti e obrigada por teres vindo aqui nos dar um feedback da tua história. Acho que fazes muito bem de ir vendo como as coisas correm sem grandes expectativas. Eu acho muito bom tudo o que contaste, acho ótimo sinal mas não há nada pior que criar mtas expectativas, vai vivendo e vendo no que dá. Que bom que te sentes mais segura, com menos medos.
    vem aqui nos contando os proximos episodios da tua história ta? Ficarei aqui torcendo =)
    Beijinho e bom fim de semana!

    • Isabelle disse:

      Tudo bem Joana, e com você? Não criar expectativas é fundamental mesmo! haha Mas as coisas com ela estão indo bem. Ela acabou me contando que gosta de mulheres, morrendo de medo que eu tratasse ela diferente. Quase teve um treco quando eu disse na verdade eu também curtia. Desde então não nos desgrudamos mais. Ainda não rolou nada, mas devagar as coisas estão se encaixando! haha
      Obrigada!
      Beijo, bom fim de semana!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s