O medo de assumir a bissexualidade vem de criança

Publicado: 18 de novembro de 2013 em Histórias reais
Tags:, , , , , , , , , ,

mulher-no-futebolEnquanto eu chutava a bola, fingia não ouvir as meninas gritando “sapatão, sapatão”. Irritada, ainda mostrava o dedo do meio, batia no peito, chamava pra briga. Elas continuavam tirando sarro.

Olhava no espelho e não entendia por que não era igual às outras. Troquei os vestidinhos pelos bermudões e camisetas largas; as bonecas pela bola de futebol. Só descobri que havia um padrão quando olhei para as outras e me vi sozinha, rodeada de meninos. Eu era a única mulher no meio deles.

Lembrei de mim quando há alguns meses um garoto mudou de colégio depois de ter sido chamado pela professora de Félix (o personagem gay da novela das 8, da Rede Globo). A vida do garoto se tornou um inferno quando os amiguinhos não o deixaram em paz com a história.

Poucas crianças conseguem lidar bem com a sexualidade. Além de não entenderem o porquê de serem do jeito que são, dificilmente têm o apoio de alguém. É um mundo solitário, triste, de humilhação diária.

Minha mãe tentou me tirar desse mundo quando eu tinha meus 11 anos. Fui proibida de brincar com os garotos do meu prédio. Minhas amizades passaram a ser apenas as meninas do colégio. Os bermudões foram trocados por blusas e calças mais justas. O cabelo ganhou melhor trato, ingressei no mundo feminino. Mas algo dentro de mim ainda remetia àquela garotinha moleca, algo ainda não se encaixava.

Às vezes eu olhava mulheres na rua e sentia uma sensação diferente. Mas ninguém falava sobre isso na escola, nem em qualquer outro lugar. Eu me sentia mal em ter aqueles sentimentos.

Entrei na faculdade e os papos mudaram. Fiquei tanto tempo sem falar da vontade de beijar uma mulher que levei um susto quando as meninas começaram a falar sobre o assunto abertamente. Elas me perguntavam se existia esse desejo, mas eu não conseguia externá-lo. Não saía, eu não conseguia falar. Estava lá o tempo todo e eu deixei escondido, no fundo do armário. Achei que nunca falaria sobre o assunto com ninguém.

Eu namorava um homem há muitos anos, então não sentia mais essa necessidade. Por que mexer em algo que estava bom? Fui conhecendo mais pessoas que falavam abertamente sobre o assunto…todas elas querendo resgatar aquela garotinha que ingenuamente já mostrava que era diferente. Mas eu não queria deixá-la sair de novo. Fazê-la sofrer outra vez. Não queria ouvir vozes gritando “sapatão, sapatão”. Queria continuar sendo uma nova mulher feminina, bem-sucedida e que tinha um namoro heterossexual de dar inveja. Eu o amava de verdade.

Mas o amor acabou. Não por isso, mas por muitas outras coisas. E aquela garotinha começou a querer sair. Ela já não tinha mais tanto medo. Descobriu que nem em todos os lugares seria alvo de preconceito. E ela finalmente saiu. Não com bermudão, mas com o desejo escancarado de beijar uma mulher. E ela beijou. E descobriu tudo o que aquela garotinha poderia ter descoberto antes se as pessoas ao seu redor também falassem sobre o assunto abertamente.

Hoje a garotinha aparece em bares GLS, na casa de amigos e de familiares ao lado de outra garotinha. Mas ela volta a desaparecer no trabalho e em lugares públicos. Ela só consegue sair quando se sente segura – apesar de ter crescido, o medo continua ali.

E ela sabe que há milhões de outras garotinhas e garotinhos escondidos em outros adultos por aí. Com medo de sair e de se deparar com a dura realidade. Enquanto muitos de nós ainda não têm coragem de enfrentar o preconceito que nos espera, a melhor coisa é começar a sair aos poucos, em lugares seguros, até conseguir se libertar de verdade.

Anúncios
comentários
  1. C. disse:

    apesar de ser diferente dos meninos desde os 5 anos, foi na quinta série que começou os comentários maldosos. O que me fazia me sentir menos excluído na escola é que eu fiz amizade com uma menina e um menino gay (bem mais velho que eu), mas eles mudaram de escola no ano seguinte, fazendo a sexta série ser um inferno pra mim e só na sétima série consegui fazer amizades de verdade porque comecei a andar com as garotas. Apesar do bullying marcar pra vida toda, eu fico feliz que eu não mudei meu jeito pra encaixar nesse padrão que menino tem que gostar de futebol, ser “imaturo”, gostar de rock e etc

  2. Gabi disse:

    Me identifiquei mto com o começo do post, pois eu era bem assim mesmo….. Brincava de jogar bola nas ruas, vivia com os meninos, odiava brincar de boneca e nunca gostei de saia e vestidos….
    Mas não sei o q eu estou sentindo atualmente. Cresci e fiquei mto mais feminina, mas acho q foi por que eu comecei a namorar um garoto. Já faz 4 anos q estamos juntos e eu nunca havia me interessado por nenhuma mulher antes, até q conheci uma menina em uma viagem da faculdade.
    Nós dormimos no mesmo quarto lá no hotel e começamos uma grande amizade. Me apeguei à ela como nunca havia me apegado a ninguém e foi mto rápido isso. Já se passaram alguns meses desde essa viagem e nossa amizade só cresceu. Hj ela é minha melhor amiga, mas me pego pensando nela dia e noite. Fico bobinha quando estou perto dela, fico chateada quando não a vejo e mtas vezes fico imaginando se poderia ter alguma coisa entre a gente. Acho q estou apaixonada por ela, mas ela não dá nenhum sinal de q queira algo mais q amizade. Ela tem até namorado!
    Queria mto ter coragem pra chegar nela, mas tenho medo q ela se afaste de mim.
    Como saber se ela toparia alguma coisa? Seria bom eu jogar algumas indiretas em forma de brincadeira ou tocar em assuntos parecidos?
    Preciso mto de ajuda pois não consigo parar de pensar nela!
    Bjus galera.

    • Carol disse:

      Olá Gabi! Bom, eu particularmente gosto das indiretas rsrs Porque houve vezes em que eu não podia ser tão direta com a pessoa. Então, eu sempre largava umas. Mas antes, como é o relacionamento de vocês 2? Ela parece ser cabeça aberta para esse tipo de assunto? Você como amiga deve notar, muito provavelmente. Dependendo da forma como ela encara o assunto, pode ser que seja preferível você ser direta ao em vez de jogar indiretas. E pelo que você nos contou, bom, você parece estar apaixonada por ela sim. Bjo

      • Gabi disse:

        Então carol, é o seguinte, nunca toquei no assunto com ela. Eu sei q se fosse um homem ele já teria percebido q estou caidinha por ele por que já dei tds os sinais possíveis, mas ela é mto ingenua nesse assunto. Tenho medo de ser direta e ela se afastar de mim e não quero q isso ocorra, pois um dia q fico sem vê-la já fico meio chateada.
        Ela estuda na mesma faculdade q eu, até fazemos o mesmo curso, mas ela está 2 anos na minha frente. Faço de td pra encontrar com ela, nem q seja por uns minutinhos. Somos mto amigas, ela até me confessou q conversa comigo sobre coisas q nunca conversou com ninguém. Sinto q ela gosta mto de mim, mas acho q é só amizade pra ela (por enquanto).
        Não faço a menor ideia se ela toparia, pq pelo q conheço dela, tenho plena certeza q ela nunca deve sequer ter pensado no assunto. Então fico meia sem saber o q fazer.
        Fico chamando ela pra sair daí já aproveito pra chamar ela pro dormir aki em casa, mas nunca dá certo.
        Já imaginei tantas formas de chegar nela. De de repente colocá-la na parede e beijá-la pra ver qual seria sua reação, mas tenho medo! Fico fazendo planos pra puxar algum assunto q possa me levar a desconfiar se ela toparia ou não, mas quando chego na frente dela travo!
        Mas não consigo mais parar de pensar nela. Até mesmo quando estou na casa do meu namorado é nela q fico pensando antes de dormir…..
        Bjus, e obrigado por responder!

    • Carol disse:

      Olá Gabi! Olha, como você mesma disse que ela é muito ingênua, bom, pode parecer estranho o que eu vou te dizer, mas eu acho que seria necessário sim. Acredito que você devesse falar com ela. Não digo chegar chegando e assustá-la, não, não faça isso, muito pelo contrário. De pouco a pouco comece a puxar assunto sobre coisas do gênero. Ela pode até querer te frear e te parar inicialmente ou não rs. Mas, independente da reação dela, dê continuidade, não páre o assunto. Sempre vá com jeitinho, daí quando chegar o momento oportuno, muito provavelmente você se fará notar… Após “acostumá-la” com o assunto, penso que seria bacana se chegar nela (e frisar que como vc6 duas sempre compartilham assuntos, bom, que você se sente confortável a falar algo que para ela AINDA que possa não ser tão confortável assim), e dizer abertamente. Pode ser que ela pire! Fique confusa, desnorteada, comece a falar coisas não tão agradáveis… Ou seja, ela pode ter alguma reação que não te agrade, possa, talvez, até te ferir. Mas Gabi, se isso realmente acontecer, porque é muito possível, não entre na pilha. Tenha mansidão, a escute… Não se deixe levar pelo turbilhão de sentimentos. Deixe-a segura, esteja em paz ( :/ ). Não sei se ela te pedirá algum tempo para digerir tudo o que foi dito… Mas caso ela te peça, a atenda de boa. Sabe, não é tão fácil escutar que uma grande amiga sua está apaixonada por você… Não quando você se tem como heterossexual… Na hora tudo parece ser tão errado… Portanto, se coloque no lugar dela e seja sobretudo paciente. Vc6 são bem próximas, como nos informou. Pois bem, pode ser que ela queira um tempo para, mas eu acredito que não desistirá de uma amizade tão show de bola por causa disso. Você pode estar com medo de perdê-la por alguns dias. Mas, sabe, pior seria ter de conviver com ela, a gostando tanto e NUNCA saber se teria pelo menos uma possibilidade. Vai aos poucos, prepare o terreno e quando ver que chegou a hora, fale abertamente e seja branda com ela. Deixe-a sempre segura. Se ela perguntar se você deseja ter algo a mais, seja sincera, todavia diga também que a respeita e que nunca iria forçá-la a nada. Com o tempo você poderá desconfiar caso ela esteja te olhando e se portando de maneira diferente. Dependendo das tuas suspeitas, aí sim você a prensa na parede rsrsrs Bjo

      • Gabi disse:

        Carol, mto obrigado pedos conselhos…. Vou tentar fazer como vc me falou. (isso se eu não travar na frente dela de novo)
        bjo!

  3. Rui disse:

    Peço desculpas se estou sendo intrometido fazendo meus comentarios em quase todos os posts, pois sou homem e gay, e se nao me engano o blog é voltado mais para bissexuais, sobretudo mulheres.Mas gosto muito desse blog, onde se comenta de tudo, porem prevalecendo os sentimentos de cada pessoa.Sempre fui muito retraido, queria brincar de boneca e nao podia, eu ficava apaixonado por outros meninos e nao sabia o que fazer com aquele sentimento.Cresci e como sou “masculino”, mulheres se interessaram por mim, mas nunca me envolvi com nenhuma, nunca quis me trair, nem me obrigar a nada.Minha familia e colegas de trabalho sabem sobre minha homossexualidade sem eu nunca ter dito uma so palavra a respeito disso, mas me recuso a fazer genero, e se começam assunto falando mal de gays ou lesbicas rebato na hora.Aprendi a ser eu mesmo com uma lesbica que conheci, muito segura de si, e muito feliz por ser mulher e lesbica.Vejo historias de mulheres com compromisso com homens, apaixonadas por mulheres e me pergunto: porque nao acabam com esse relacionamento? Por que insistem em manter um homem como namorado/marido? Sejam felizes com suas mulheres e liberem esses homens para serem felizes com quem realmente os queira como amor.Eu se fosse a Gabi, que comentou, começaria a falar sobre homossexualidade com a tal garota que ela está apaixonada, coisas tipo: O que vc achou do casamento da Daniela Mercury, ou da Maria Gadu.Assim vai percebendo a reaçao da outra.Posso estar enganado, mas parece ser bem mais facil para as mulheres homo ou bi sairem do armario do que os homens, que sao cobrados constantemente a terem uma mulher, falarem sobre mulher, respirarem mulher.Gosto muito do blog.Um beijo no coraçao e muito carinho pra voces.

    • blogsoubi disse:

      Rui, de forma alguma você é intrometido. Os seus comentários são sempre muito pertinentes e bem-vindos. Esse blog é voltado a qualquer pessoa que queira falar sobre sentimentos e sexualidade. Adorei seus conselhos, obrigada por participar. Grande abraço!

      • Dany disse:

        Que é isso, Rui, mas claro que vc é bem vindo aqui, pq vc respeita as pessoas bissexuais 🙂 . Desde que ninguém venha aqui para propagar a bifobia demais preconceitos será sempre bem-vindo/a, caso contrário não será pq a porta é a serventia da casa hehehe!!! Sorry Amanda, não resisti e falei de boa, rs

    • Gabi disse:

      Obrigado pelo conselho Rui, vou tentar tocar nesses assuntos com ela….
      Vou postando aki o q for acontecendo daí vcs podem me ajudar a ver se ela toparia algo ou não!
      Bjus galera!
      PS.: adoro esse blog

  4. daria disse:

    Eu nunca passei pelo que você passou. Desde nova, com 13 anos, meus amigos já sabiam e nem ligavam. Só tive um pouco de dificuldade com a minha mae e com minha antiga psicológa, minha mae achava que as séries de tv me influenciavam, a psicóloga que eu tinha trauma de homem. Meu pai levou de boa.

  5. myinnerselves disse:

    Ola, muito legal esse post. Me vi muito ali. Tambem brincava com os meninos quando crianca, e ate dizia que eu era ‘metade menina metade menino’ pra ninguem duvidar da minha legitimidade de brincar com os garotos de lutinha e futebol haha. Eu tambem tive um namorado ate os 18, depois soh fui sair com meninas aos 20 mais ou menos, descobri um mundo novo. Saio mais com meninas hoje em dia mas, outro dia sai com um cara haha Eh bem confuso porque eu ja tava me identificando como ‘lesbica’ e resolvi sair com um amigo…Nao deu em nada enfim, o cara tava a fim que eu fosse namorada dele mas nem to a fim de algo serio, eu soh queria uma noite mesmo, rsrs Isso foi meio confuso pra mim que ja estava me identificando como gay ne. Como posso ser lesbica se eu acho aceitavel sair com um cara as vezes ne? Bom, soh pra esclarecer outro dia Alem de eu ter saido com ele eu tambem tentei cantar uma garota que era muito massa na mesma epoca. Levei o maior fora haha Mas ficou a questao ai pra mim na minha cabeca sobre a bisexualidade. O problema eh que parece que todo mundo quer te definir como hetero ou gay, e eu entrei nessa da definicao ‘preto ou branco’. Mas quer saber? Acho que o negocio eh desfazer dos rotulos, nao? ou tenho que botar na cabeca que sou alguma coisa. tipo ‘bisexual’? Ou talvez nao seja nada dessas coisas, porque acho que depois dessas entrei eh numa fase meio flutuante, em que acho que muitas mulheres sao um saco rsrs e nao tenho tanto desejo por homens. haha nao sei com quem mais sair hehehe Talvez a fase seja asexuada mesmo rss

  6. myinnerselves disse:

    Nao estava conseguindo postar porque aparentemente eu tenho conta no wordpress (nem lembrava meu!) por favor delete um ai….

  7. Rui disse:

    myinnerselves, eu nao quero te rotular, mas você é bissexual, e qual o problema? Viva sua vida do seu jeito e seja feliz.Sabe, eu sou gay, mas eu pudesse escolher ou eu seria assexuado ou entao uma mulher 100% lesbica, daquelas que naturalmente nem sabem da existencia de homens.

  8. disse:

    oie! adorei esse blog ..me desculpem eu me entrometer assim..tenho apenas 16 anos e namorava somente com garotos…com o passar do tempo fui me interessando por mulheres ..olhava para elas e sentia uma atracão forte uma vontade de beijar uma mulher…mas a coragem nao deixou! mas agora sim estou determinada e pronta para ter relacao com mulher..bjo jó

  9. disse:

    peço concelhos pois nao sei mais o q fazer…tenho uma amiga q tbm eh bi…mas ela ja ta namorando e gosta muito dele..porem estou apaixonada por ela e nao sei se devo esquecer ou me declarar pra ela…o q faço? ela nao demostra sinais se gosta ou nao de mim cm mais q amigas..bjo jó

  10. F disse:

    Sou menina, tenho 16 anos. Desde meus 11 anos olho as garotas de um jeito diferente (mas nunca deixei de curtir garotos), mas nunca tentei nada e nem tinha falado nada pra ninguém, pq minha familia é extremamente religiosa e mente fechada. Só esse ano tive coragem de me abrir, conheci um cara que foi criado na mesma religiao da minha familia, mas agora é ateu. Eu contei tudo pra ele, e como ele conhece bastante lesbicas e bi, ele me ajudou bastante com esse assunto, até tentou arrumar as amigas dele pra mim kk mas eu sou muito timida, entao nem rolou nada. Queria dicas de como perder a timidez e tbm de como falar pra minha familia desse assunto.
    Obg, bj.

  11. macedão disse:

    Ê Zu! NoRules to be incredible!

    Tú és foda mulher!
    Lindo texto 😉

    Bjo

  12. Bia disse:

    Oi, gostaria de falar com a dona deste blog. Meu nome é Julia e
    tenho 14 anos. Sempre me
    senti diferente das outras
    meninas. Sempre gostei de
    jogos como futebol,
    brincar de carrinho,
    sempre fui a docinho das
    meninas super poderosas.
    A partir dos meus 9 anos
    mais ou menos, antes nao
    me lembro, sonhei com
    uma garota. Sempre amei
    ler, e esses sonhos
    começavam como percy
    jackson e os olimpianos.
    Venciamos (eu e a garota)
    e no final do sonho eu me
    apaixonava por ela. Eu
    tinha esses sonhos uma
    vez a cada trimestre mais ou menos e
    sempre achava estranho.
    Aos doze, comecei a
    reparar em mulheres, mas
    nao, eu nao podia ser
    bissexual. Meus pais
    sempre apoiaram os lgbt e
    falaram que se eu
    fosse.nao teria problema.
    Eu sempre seria a filha
    amada deles. Mas eu não
    sei o que fazer.
    Recentemente me
    apaixonei por uma garota,
    linda aos meus olhos, a
    qual eu reparava e ainda
    reparo em tudo. Os olhos,
    sorriso, o beicinho que ela
    faz quando irritada ou
    triste tudo. Mas tudo é
    muito conflitante. Ela é
    hetero, e de familia
    extremamente religiosa.
    Sempre fomos amigas,
    mas fomos separadas
    pela familia dela, por causa da minha religiao. Eu sei
    que eu nunca poderia ter
    nada com ela, mas sempre
    sofri muito com cada
    ficada dela. Mas sempre
    estive la para apoia-la.
    Atualmente a gente so
    se fala pela net, mas os
    meus
    sentimentos continuam , e
    a amizade tambem. O
    mais conflitante é que no
    inicio eu sentia
    preconceito de mim
    mesma. Ainda tenho, um
    pouco. É dificil eu mesma
    me aceitar. Os meus
    sentimentos sao tao
    confusos que me sufocam.
    Tenho medo de algo
    mudar em relaçao aos
    meus pais. Eles falam que
    apoiam, se eu for
    bissexual, lesbica sei la,
    eles falam que tudo bem.
    Mas pimenta nos olhos
    dos outros é refresco. Nao
    sei o que faço. Nao sei
    chegar numa garota, nem
    em ninguem rsrs. Como
    terei a experiencia de
    beijar uma, e saber se
    gosto ou nao? Para ter
    certeza se sou ou nao bi?
    Nao sei o que fazer ,
    po isso recorri a este blog, do qual gostei muito. Por favor me
    ajude, tanto no assunto
    dos meus pais, quanto da
    garota e da minha
    confusao de sentimentos.
    Obrigada e desculpe os
    erros.

    • blogsoubi disse:

      Bia, tudo bem? Eu entendo como você se sente. Ter esses sentimentos, principalmente na adolescência, nos deixa bem confusas. Quando eu tinha a sua idade não consegui aceitar tudo isso. Na verdade, acho que coloquei uma venda e decidi viver a vida de outra forma. Não foi ruim, na época, porque eu gostava de homens e nunca tinha me apaixonado por nenhuma mulher, eram só atrações. Você não quer aceitar tudo isso, porque muita gente ainda não vê com naturalidade o assunto. Mas aos poucos, quando você descobrir o que realmente lhe faz feliz, vai mudar de opinião. Acredito que um relacionamento com essa sua amiga no momento seria muito difícil. Muitas famílias, infelizmente, ainda não entendem esse sentimento. Conseguiremos essa conquista aos poucos. Veja a Igreja Católica. O Papa atual não condena os homossexuais. As religiões aos poucos vão ver que tiveram algumas interpretações equivocadas sobre algumas questões. Enquanto isso não acontece, temos que tentar levar a vida da melhor forma. Aos poucos, você pode conseguir aprender a lidar melhor com o preconceito. Esse é o segredo. Saber lidar com o nosso próprio preconceito e com o dos outros. Fique tranquila em relação a tudo o que está sentindo. Nada é certo, você está se descobrindo. Então não defina agora o que você é. Simplesmente viva, sem culpa. E seja feliz por ter apoio dos seus pais em qualquer decisão tomada. Isso é muito raro, sinta-se privilegiada. Abs!

  13. Bia disse:

    Obrigado mesmo. Me ajudou bastante 😀

  14. Anonimous disse:

    Sou mulher, 24, nunca namorei… nem beijei na boca. Percebo que tenho certa queda por mulheres e frequentemente fico imaginando relações sexuais onde eu faço o papel do homem. Desde criança tenho mais amizade com pessoas do sexo masculino e me identificava com os filmes, brincadeiras e jogos. Será que eu sou bi, lésbica ou apenas carente?

    • Dany disse:

      Se vc só sente isso por mulheres e não homens, é lésbica. Não existe isso de gostar de mulher apenas por carência. A gente as vezes sabe a resposta dentro de nós sobre o que gostamos, mas queremos a opinião alheia só pra confirmar o que já suspeitamos, esse pode ser seu caso, e o tempo também dirá, junto as tuas experiências.

  15. leandra disse:

    vi q nao era hetero me senti um ser de outro mundo mas hoje tenho orgulho de ser parte da comunidade glbt o q me preocupa e a homofobia e o preconcento meninas me ajudem como contar pros meus pais ?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s