As grandes barreiras da bissexualidade

Publicado: 25 de julho de 2013 em Bissexualidade feminina, Bissexualidade masculina

imageQuando aceitei minha bissexualidade, passei a observar mais as declarações e o comportamento das pessoas. Em grandes grupos, poucos conseguem afirmar que se envolveriam com alguém do mesmo sexo.

Mas em uma conversa mais íntima, em que aquela pessoa não está tão exposta, a verdade acaba aparecendo. Nem todas as pessoas, porém, conseguem externar esse sentimento. Eu, sinceramente, achei que o guardaria a vida toda. Se alguns acontecimentos não tivessem me levado a me envolver com uma mulher, talvez eu nunca tivesse dado o meu primeiro passo.

Eu negava o meu interesse por mulheres para todas as pessoas. Por mais que meus pensamentos e sonhos continuassem me levando por esse caminho, eu tentava bloqueá-los de muitas formas. O que me “salvava” era o meu interesse por homens. Então me focava apenas nisso, esquecendo parte da minha identidade.

Recebo muitos relatos de homens e mulheres com esse mesmo sentimento. Alguns e-mails são de pessoas que nunca falaram com absolutamente ninguém sobre o assunto. “Você é a primeira pessoa a quem conto a verdade”.

As pessoas ainda têm vergonha de falar sobre a sexualidade. Há alguns dias, minha namorada retornou uma ligação minha no trabalho. Nos falamos normalmente, mas à noite ela me pediu desculpas por ter feito isso. Não havia motivo algum para ela me pedir desculpas, mas de alguma forma, ela achou que ligar no meu trabalho poderia ser um problema para mim, principalmente porque nem todos sabem que namoro uma mulher.

Vivemos nos escondendo por medo do que os outros vão achar. Perdemos grandes oportunidades para continuar fingindo que a heterossexualidade é o único caminho da normalidade.

Nunca esqueço de uma cena que reflete muito bem minhas últimas afirmações. Havia um homem no meu círculo de conhecidos com fama de garanhão. Ele era aclamado pelos demais por conquistar as garotas ao redor. Certo dia, quando eu estava em um ambiente GLS, o vi beijando um homem. Quando ele percebeu minha presença, ficou lívido, visivelmente desconfortável. Perguntou o que eu estava fazendo ali e tentou puxar outros assuntos. Mostrei a ele naturalidade, o cumprimentei e saí de perto. Suspeito que ele tenha ficado feliz em me ver distante, mas fiquei triste ao vê-lo tão mal.

Essas situações me fizeram perceber que muitas palavras e atitudes valem muito menos do que eu imaginava. Por mais que julguemos que sim, a maioria das pessoas ainda não está preparada para combater a cultura moralista instaurada nos últimos séculos. Por enquanto, o meu silêncio para alguns, também me faz ser uma delas.

E vocês, já conseguiram contar para alguém o que realmente sentem? E quem consegue lidar com isso com naturalidade, pode contar a respeito?

Anúncios
comentários
  1. Dany disse:

    “Vivemos nos escondendo por medo do que os outros vão achar. Perdemos grandes oportunidades para continuar fingindo que a heterossexualidade é o único caminho da normalidade.” esta última colocação se aplica principalmente por causa da religião, que insiste em pregar que o casamento gay é uma “ameaça” à familia tradicional (e se esquecem que muitas familias desestruturadas financeira e emocionalmente por conflitos entre os pais vem dos heteros) , o que me deixa extremamente chateada, ainda mais se o fizerem por pura conveniência! Como poderia afetar a familia hetero, se homossexualidade não “pega”???? Pq obrigar,/ forçar as pessoas a serem heteros , se todos sabemos (e eles com certeza devem saber muito bem) q nem todos o são verdadeiramente? Pq magoar tanto certas pessoas só pra manter uma doutrina que já deveria ter modificado sua visão de mundo há séculos?? Só pra perpetuar o ódio, ou uma tradição arcaica em função de quê? Deve sinceramente rolar alguma politicagem até dentro da religião….. não é a sexualidade de alguém que tem que mudar, e sim a postura da igreja deveria condizer com a realidade, não buscar cura em algo q não existe “cura”, pois não é doença e nem escolha!! E SE fosse uma escolha (considerando os possiveis bissexuais) pq alguem escolheria esse caminho só por mera afronta? Enquanto igreja, ao invés de julgar, seria bom pensar na historia de vida de cada um, e considerar e assumir de uma vez por todas que, cada um tem seu direito e o livre arbítrio de ir atrás da sua felicidade como melhor convier, desde que não prejudique a ninguem, pronto!!

  2. eduardo disse:

    Eu posso estar fazendo uma leitura bastante equivocada, mas peço a tod@s que me corrijam, caso eu estiver errado, mas sou um homem e penso que é muito mais difícil ser aceito enquanto bissexual do que uma mulher. Explico:

    Entre os homens há aquele velho e conhecido fetiche de olharem duas mulheres “se pegando” e isso, a meu ver, diminuiu sensivelmente o preconceito em relação à bissexualidade feminina. No caso da bissexualidade masculina, a aceitação é bastante difícil, sobretudo pelos amigos homens.

    Eu mesmo só me assumi bissexual para mulheres, a maioria delas se envolveram comigo mais intimamente (seja como amiga ou namorada) e da parte delas, a aceitação foi boa. No entanto, serei sincero, não disse para nenhum amigo homem que gosto de homens também e esta é uma barreira que inegavelmente existe em minha vida.

    Não faço, no entanto, o papel do “homofóbico”, “garanhão” na frente dos outros, enquanto que na intimidade eu me revele quem sou. Sou um militante nas causas dos direitos dos grupos LGBT, sempre me posicionamento totalmente favorável ao direito de vivermos como bem entendermos no que diz respeito à nossa vida íntima.

    Bom, concordo com a autora e com o comentário da Dany. Ainda há muito preconceito e as pessoas não estão totalmente preparadas para a aceitação das diferenças, ou o direito à diferença. A religião, claro, tem uma grande parcela de culpa nisso e não há como negar, mas o machismo, o patriarcalismo, a psicologia, as ciências de modo geral, enfim, são uma série de discursos que sempre procuraram nos moldar, inclusive (especialmente) sexualmente.

    Obs: Só para esclarecer, sei que há preconceito em relação às mulheres bissexuais/homossexuais, o que eu quis dizer é que nossa sociedade é tão machista que o homem bissexual é muito mal visto, enfim, tudo aquilo que vocês já sabem.

    Abraços

    • Viviane Jacinto disse:

      Realmente, Eduardo, os homens sofrem nesse quesito! -.- Mas, note que a aceitação em demasia q as mulheres bissexuais recebem às vezes irrita! Somos aceitas até demais pq nos transformamos em um mero fetiche!

      Quanto ao preconceito, como vc descreveu bem, vêm de todos os lados! Não só da religião, mas é justamente esta e a moral que prega que influenciam todo o resto. Espero que isso acabe em breve! E nos escondermos ñ é a solução! Mas, como é difícil se assumir! kk XP

      • eduardo disse:

        Ah! Bem lembrado Viviane. Ser tratada como mero fetiche é igualmente ruim e concordo absolutamente com o que disse.
        Beijos

  3. universitario disse:

    Contei para uma amiga minha. Falei com muita naturalidade e ela recebeu do mesmo modo. Me senti muito bem, estávamos rindo e continuamos rindo. Faz um ano q gosto de uma amiga minha q também é bi. Mas ela me ignora. Acho outras pessoas atraentes, mas só desejo essa minha moça bi. Não tenho vontade de falar pra mas ninguém, mas se me verem com um rapaz e perguntarem eu falo. O chato é q parece q pra algumas pessoas bissexual é lenda, ou é homo ou é hétero.

  4. Universitario disse:

    Assumi pra uma amiga bem chegada, e só pra ela. Falei durante uma conversa qualquer e ela recebeu super de boa. Me senti muito bem, fizemos uma piadas. Faz um ano q gosto de uma amiga minha q também é bi. Mas ela me ignora. Acho outras pessoas atraentes, mas só desejo essa minha moça bi. Não tenho vontade de falar pra mas ninguém, mas se me verem com um rapaz e perguntarem eu falo. O chato é q parece q pra algumas pessoas bissexual é lenda, ou é homo ou é hétero.

  5. T. disse:

    Os únicos que sabem de mim são alguns dos meus amigos gays, o resto só desconfia.

  6. B. disse:

    Eu nunca consegui falar dos meus sentimentos para alguém do meu convívio, no máximo consegui desabafar no ambiente virtual, com pessoas que conheci. Acredito que muitas vezes precisamos de um ponto de partida para tomar coragem. Eu já tive paixões platônicas, mas nunca consegui nem ao menos expor meus sentimentos. Penso que um amor correspondido e vivido talvez dê mais forças pra ir quebrando o medo e traga uma maior aceitação. Não sei se algum dia irei viver algo assim, mas acredito na força do amor.

  7. eduardo disse:

    Pessoal, vocês já pensaram em criar um grupo via skype, por exemplo? Grupo de pessoas para conversar, etc. Penso que pode ser uma boa ideia. Poderíamos passar o nosso skype aqui de modo que constituamos uma rede. Talvez fosse necessário abrir um tópico só para isso.
    Enfim, penso que seria legal e muito importante para tod@s…
    Abraços

    • Viviane Jacinto disse:

      Adorei a ideia! ^u^
      Tô tão perdida e cheia de dúvidas quanto todos parecem estar! E este blog têm me ajudado muito! Ah, e tbm acho q seria melhor abrir um tópico só p isso! O que acha Amanda?! Poderíamos abrir um grupo do blog! *=*

      • blogsoubi disse:

        Viviane e Eduardo, estou tentando providenciar esses pedidos. Acho que seria bem interessante, na verdade já estou estudando isso há um tempo. Mas precisa ser algo bem seguro, por isso ainda não coloquei nada. Aviso vocês o quanto antes! Beijos! 🙂

  8. Viviane Jacinto disse:

    Vlw, Amanda! Concordo q deve ser algo seguro msm! Mas, aguardo ansiosa! kkkk ^u^

  9. Dany disse:

    Eu sou a favor de uma espécie de “encontro da juventude bissexual”, seria um 1º encontro no ibira, com algumas reuniões periódicas, com as pessoas das respectivas regiões do Brasil (no meu caso em Sampa), e iriamos nos conhecer e discutir esses conflitos todos debatidos pro aqui, só q de maneira real, pq se querem conhecer possiveis amizades ou amores, nada melhor q o REAL! E sou a favor de um canal no youtube em favor da bissexualidade e sobre ela, pois tem pouco suporte!! Os corajosos de plantão contariam suas experiências e tals, ia ser divertido e diferente!! Eu tenho um blog pra entendidas, mas tem todo o suporte para pessoas bissexuais!! Eu apoiaria total esse projeto e me envolveria nele sempre que possivel!!

  10. Viviane Jacinto disse:

    Seria demais! 😀 Os bissexuais definitivamente precisam de mais visibilidade! ^^

  11. Maria Lúcia disse:

    No ano passado eu contei a minha prima que eu sou Bi e ela agiu normalmente,e até brincou se eu tinha namorada,eu disse que ainda não.Minha mãe esta começando a achar que não sou hétero,quando ela vem me perguntar porque eu não tenho namorado eu digo que sou muito nova ou que não tenho tempo para isso.Tenho medo da reação dela quando eu contar que gosto de ambos.É muito difícil falar para alguém a sua sexualidade,temos medo da resposta,da reação.Eu descobri que não sou a única da família tenho um primo gay de 16 anos que se assumiu no ano passado eu queria muito ter essa coragem que ele teve.

  12. eduardo disse:

    É absolutamente compreensível que tenhamos receio em publicar nossos e-mails por aqui, mas sugiro que criemos contas alternativas do skype de modo que possamos preservar àquelas que usamos no trabalho ou com amigos/familiares e que não queiramos que seja colocada aqui, publicamente.
    abçs

  13. blogsoubi disse:

    Oi, Joana, tudo bem? Bom te ver aqui de novo! 🙂 Fiquei muito feliz por você ter conseguido contar para as pessoas mais próximas. É tão bom, não é? Dá um alívio…! E aconteceu mais alguma coisa entre você e aquela mulher por quem estava apaixonada? Beijos!

  14. mariza disse:

    A idéia do grupo que envolva bissexuais, eu apoio e participarei na medida do possivel, pois somos discrimadas(os) tanto por lésbicas e homossexuais, quanto pelos heteros e isso causa muita coisa ruim.
    Precisa desmistificar e escancarar mais a bissexualidade, pois sob meu ponto de vista nada mais é a opção de alguem que se coloca de maneira aberta aos dois sexos.

  15. Giulia Magalhães disse:

    Minha família sabe desde os meus 13 anos de idade, acredito que nem todos os membros dela, mas uma grande parte sim…
    No começo, eu morava com os meus padrinhos de batismo, e pra eles foi um choque, não aceitaram de jeito nem um e eu tive que “tirar essa ideia da cabeça”. Durante esse período eu fiquei com muitos meninos (me arrependo disso), eu queria ver se conseguia mesmo parar com aquilo, pois era um desejo que estava me consumindo por dentro. Depois de alguns meses (eu já não ficava mais com ninguém), comecei a me relacionar com uma garota da mesma idade,eu estava completamente apaixonada, só que nosso relacionamento durou 3 meses. Além de eu e nem ela estarmos maduras o suficiente, ela sentia falta de beijar meninos..
    No final do ano seguinte me mudei, vim morar com minha mãe, e logo depois de alguns meses aqui eu contei pra ela. A reação dela? “você é minha filha e eu vou te amar de qualquer jeito, independente da sua opção”. A minha reação? Fique boquiaberta. E até hoje eu vivo super bem. Claro que agora é mais fácil lidar com a situação, todos já sabem, e eu me assumi, não só para as pessoas mas pra mim mesma.
    No momento estou em uma relação séria com uma garota, já fazem 6 meses, e com a graça de Deus, são os primeiros meses de muitooos anos que vamos ter pela frente…
    Bom, é isso, ah e eu acompanho o blog desde abril de 2011

  16. Kaylaine disse:

    tenho 23 anos, e estou me descobrindo somente agora, ja fui casada com um homem, porém sempre quis como era ficar com uma mulher, na verdade sempre me senti atraida por mulheres tbm, mas sempre consegui lidar com isso, hj tenho uma amiga, que diz não ser lésbica, porém ela ficou com um menino somente 1 vez, e estamos cada vez mais proximas, em um final de semana desses, ela estava me provocando dizendo que eu não tinha coragem de bjar ela, resultado: eu a beijei, e foi muito bom, sinto algo muito diferente, é mais quente que um beijo masculino, no entanto, fora ela, ninguém mais sabe do ocorrido, me sinto sufocada, a minha volta não tem ninguém que possa entender esse lado, que lutamos e muito mesmo, para esconder,. preciso de alguém pra conversar…
    obs: o blog tem me ajudado muito, a tirar varias duvidas, a ter certezas sobre EU mesma… Parabéns… #blogsoubi

  17. Flavia disse:

    Demorou muito pra eu conseguir me assumir pra mim mesma , mas depois que consegui ficou facil me assumir pros outros , ai fazendo isso descobri que tinha muita gente assim a minha volta… agora pra minha familia eu tenho medo , so vou fazer isso caso um dia namore serio com uma mulher e se eu tiver dinheiro , 18 anos claro…. minha mae eu sei que nunca ia me aceitar

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s