Devo namorar um homem bissexual?

Publicado: 25 de junho de 2013 em Bissexualidade feminina, Bissexualidade masculina
Tags:, , , , , , , , , , ,

GaysMuitas mulheres já me fizeram essa pergunta. Uma delas me contou que no início do relacionamento, o homem por quem estava apaixonada confessou que também se atraía por homens.

Ela dizia que o amava, mas se sentia insegura em firmar uma relação. Será que ele não é um “gay enrustido?”. Ele ainda não havia se relacionado com nenhum homem, mas sabia desse sentimento e queria apenas compartilhá-lo com ela. Era importante que ela soubesse desde o começo quem ele realmente era.

Não dava para vê-lo da mesma forma, me confidenciou essa mulher. Ela tinha medo de ser trocada em algum momento por um homem. E quem não tem medo de ser trocado a qualquer momento? Isso pode acontecer com um homem ou uma mulher. Se já não houver mais amor, não importa se o cara é bissexual ou o mais heterossexual de todos.

É fato que muitos gays insistem em relacionamentos heterossexuais para não terem de lidar com a sua verdadeira sexualidade. Mas não acredito que seja o caso de todos os homens. Existe um machismo muito grande por parte de muitas mulheres. Elas podem ser bissexuais, mas seus parceiros não podem nem ao menos pensar em um rosto barbado.

Preconceitos como esse fazem com que eu receba uma enxurrada de e-mails de homens tristes por não poderem compartilhar esse sentimento com suas namoradas e esposas. Alguns contam que já se relacionaram com outros homens (quando eram solteiros), mas nem por sonho falariam isso para suas parceiras. Elas nunca aceitariam, dizem eles.

Por enquanto, é melhor muitos homens continuarem fingindo que são os “machões” que a sociedade quer que eles sejam. Ou começarem a quebrar tabus.

Anúncios
comentários
  1. Eduardo disse:

    Oi,
    Eu devo confessar que sempre fui bem recepcionado pelas minhas namoradas quando mencionei que gostava de homens. Das últimas 3 namoradas , todas aceitaram e até curtiram a ideia, rolando inversão e tudo mais rsrs, inclusive minha esposa que aceita e curte na boa.

    • blogsoubi disse:

      Nossa, Eduardo, que ótimo. Bom saber que isso já está começando a acontecer. Abs!

      • Eduardo disse:

        Então, não sei em que medida isso é uma tendência de aceitação. Certamente o conservadorismo é predominante, mas o que deve ter jogado a meu favor nos casos que citei certamente foi o fato de que sempre tive um diálogo muitíssimo aberto com quem se envolveu comigo. Assim, também dava espaços para ouvir as mulheres, suas fantasias, e tudo mais, sem nenhum tipo de preconceito ou de “ciúmes”, enfim. Em síntese: eu as ouvia e todas elas igualmente tinham desejos/curiosidades bissexuais, dentre outras fantasias e uma das regras dessas relações sempre foi: “Não podemos manter uma posição de avaliadores das fantasias sexuais do outro. Precisamos aceitá-las e, se ambos curtirem, aproveitá-las, mas nunca reprová-las”.

        Nesse sentido, eu dizer que gostava de homens sexualmente falando foi sempre sem traumas. Sinto, igualmente, que nenhuma delas “desconfiava” de mim no sentido: “Será que ele é gay?”. Era tudo tão cristalino e honesto que jamais rolou esse tipo de questionamento.

        Bom, é isso.. vamos dialogando…

  2. Viviane Jacinto disse:

    Ñ são só as mulheres que sofrem c o machismo! ‘-‘ E, infelizmente, somos grandes propagadoras dele tbm! Nesse caso, eu acho q os homens sofrem tanto qnt as mulheres! Imagina só: O cara conta p mina que ele é bi, e aí, acontece o q a própria Amanda já disse, sofre preconceito e desconfiança. Se conta p outro cara, é rejeitado pq ele gosta de mulheres tbm! –‘
    Enquanto as garotas sofrem o inverso: são aceitas ATÉ DEMAIS! Passando a ser um mero fetiche!
    Assim fica difícil! Vamos ter q nos restringir só a quem é bi tbm?! .-.

  3. Luciano disse:

    bom dia!
    sou noivo ha 9 anos e sou bi,mas nunca poderei falar pra minha noiva,até meus 20 anos só me relacionava com homens,não assumidamente,e sofro um pouco por não compartilhar isso com ela,o lance com homens é mais carnal,mas enfim…deixo aqui meu comentário….

  4. V. disse:

    Admito que é uma situação complicada. Outro dia estava debatendo com minha psicóloga, sobre sexualidade de uma maneira geral, e ela me disse que quem é bi, só vai ser feliz quando encontrar outro bi. Se assim não for, uma hora o relacionamento irá ruir. O que vcs acham?

    • Dany disse:

      Que ela é tremendamente PRECONCEITUOSA e não entende NADA de bissexualidade, hahaha! Cada dia que passa vejo que falta mais preparo para certos profissionais da área saberem como lidar com essa questão. Já não basta o preconceito da sociedade em si, agora dos “profissionais” de plantão!!

    • Dimitria disse:

      Eu não concordo! Acho possível um bi ser feliz com um hetero!!! Creio que tendo diálogo e respeito, o relacionamento flui! Que o diga, Angelina Jolie e Brad Pitt rs

      • V. disse:

        Acho que diálogo e respeito são com certeza importantes nessa questão, mas mais importante, ainda, é a maturidade e segurança da pessoa! Como em qualquer relação seja hetero ou não, quando há imaturidade e insegurança de uma parte, não relacionamento que aguente.

  5. V. disse:

    Também tive o mesmo pensamento da Dany, de que ela era preconceituosa, depois percebi que não é bem assim. Acho q de certa forma ela tem opiniões sobre certas coisas que podem diferir das opiniões de outros, mas não quer dizer que isso seja preconceito.

  6. eduardo disse:

    É um debate curioso, pois a bissexualidade quase que inevitavelmente irá romper com a relação monogâmica. Explico:

    Sou bissexual. Amo minha esposa, ela sabe disso, etc., tal como mencionei acima. No entanto, quero ficar com homens agora. Ela sabe, obviamente. Qual a solução? Levando em consideração que eu estaria rompendo com a vida monogâmica e fazendo sexo com um terceiro. Isso é justo? É justo que ela não participe disso?

    Chegamos a seguinte conclusão, faremos ménage com um outro homem, igualmente bissexual. Nós três. Com cumplicidade e confiança, pois eu só procuro sexo com outro homem, não estou apaixonado por nenhum. Ela, como minha esposa e confidente, pode participar disso. Não há problema algum.

    O que a psicóloga não conseguiu ver, no meu ponto de vista, é que as relações podem romper com a ideia de monogamia. Presumo que ela fez a seguinte leitura:

    Ele é bi. Ela não é (ou vice-versa). Vai chegar uma hora que ele/a precisará transar com uma pessoa do mesmo sexo, pois deseja por isso, logo, irá trair a namorada/o; esposo/a. No entanto, uma alternativa, como falei, seria um sexo a três de vez em quando, ou uma relação aberta no sentido de que se o bissexual do casal quiser ficar com alguém e eventualmente seu/sua parceiro/a não participar. O parceiro não-bissexual terá igual direito de ficar com outra pessoa se quiser, desde que com consentimento de ambos.

    Um casal que se ama muito e tem confiança em si mesmo, pode participar das experiências sexuais juntos, sempre.

    • V. disse:

      Acredito que seja bem por aí mesmo Eduardo, acho que foi exatamente o que ela quis dizer. O problema é esse, não é toda pessoa que aceitaria esse tipo de coisa entende? Eu, particularmente, não sei se aceitaria uma relação a três. Você tem sorte de ter encontrado alguém que te entende e quer participar dessas experiências junto com você!

    • manusouzasite disse:

      Sua colocação foi perfeita Eduardo, pois é dessa forma que acontece no dia à dia.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s