Mulheres precisam aprender a lidar melhor com a rejeição

Publicado: 6 de maio de 2013 em Bissexualidade feminina, Mundo LGBT
Tags:, , , , , , , , , , , ,

rejeiçãoQuando comecei a me interessar por mulheres, um dos meus maiores medos era receber um “não” categórico. Era uma grande dificuldade abordar uma mulher, eu tinha pavor de ser rejeitada. Ficava horas imaginando o momento que uma garota poderia me dar um fora e eu iria sair dali correndo, pra ninguém perceber o que tinha acontecido.

Nesses momentos, eu realmente entendi os homens. E me arrependi de ter falado muitas coisas sobre eles. “O cara é um banana, não chega junto da menina, não sabe o que falar”. Nossa, nem me lembro de quantas vezes falei isso.

Paguei com a língua. Antes de entrar nesse universo que me obrigou a ter de “tomar atitudes”, eu era acomodada. Sim, as mulheres, na maioria das vezes, são muito acomodadas. Quando nos envolvemos com os homens é muito mais fácil. É só dar alguns sinais e esperar ele vir. E quando não vem, é quase massacrado (não só pelas mulheres, mas pelos amigos).

Os homens, assim como nós, também têm medo da rejeição. É horrível receber um não. A diferença é que eles já estão mais acostumados com isso. Depois de levar tantos “não”, eles sabem que em algum momento vão levar um “sim”. E as coisas acontecem mais facilmente.

Quando vou a balada gays com predominância do sexo masculino percebo como as relações acontecem com mais naturalidade. Dificilmente meus amigos gays ficam sem conhecer alguém em uma noite, ao mesmo tempo que vejo mulheres isoladas, apenas trocando olhares com outras durante horas.

Claro que um jogo de sedução é interessante. É o que pode deixar tudo mais emocionante e sabemos muito bem disso. Ir com sede ao pote nem sempre é a melhor decisão.

Há ainda casos mais complicados. Se apaixonar por uma amiga pode ser terrível, porque o medo de perder a amizade toma conta.

Mas em todos os casos chega um momento em que você precisa tomar uma atitude. Por isso, depois de analisar a situação, deixe o medo de lado e arrisque. O máximo que você vai receber é um não. Só vai precisar aprender a conviver com isso.

Anúncios
comentários
  1. Dany disse:

    Bom, no meu caso EU não concordo em arriscar. Cada um tem um nivel emocional q deve ser respeitado. Pra quem tem mais chance de levar um sim do q um não, é até mais facil e mais comodo arriscar, ao contrario de quem tem masi dificuldade e quase certeza de um fora certeiro, e pra que, se a pessoa sabe do desgaste emocional que vai sofrer depois, se martirizando, se remoendo, acho um masoquismo desnecessario!! Ninguem é obrigado e se forçar a se atirar em algo q depois pode se afundar em arrependimento e remorso, só pra dizer ” eu fiz”. Eu me respeito, e prefiro arriscar somente se eu estiver preparada.para lida com uma possivel perda. Como vc disse, levar um não é horrivel, principalmente se vc estiver apaixonada. Em balada vc logo desencana… mas se estiver APAIXONADA, não vai ser tão facil assim. Eu prefiro ficar na minha sei sei que tenhog dificuldades e poucas chances, prefiro chegar se perceber uma chance um pouco maior, pra não ficar me lamentando depois.

  2. Erica disse:

    Eu que o diga Amanda. Lidar com a rejeição foi uma das piores coisas da minha vida. Até porque eu até então era muito segura, determinada, consciente de mim. Então foi uma porrada mesmo!!! `Por outro lado, se eu estivesse na balada, não acho que seria tímida não. Não tenho um comportamento introvertido. Eu cairia pra cima. Levando fora ou não. A gente tem que aprender que na vida nem todas as portas estão fechadas. Bjs

  3. daise disse:

    mulher de orgulho ferido é o demo, não existe raça pior qndo rejeitada, sofro muito com as ex da minha namo, elas me infernizam mesmo, descobriram meu telefone e me pentelham, vou ter que trocar de número…rsrsrs…mas pra mim, esse tipo de mulher não tem amor-próprio, ou tinha e deixou de existir.

    • Dany disse:

      Mas tem as ex folgadas que terminam sem dar explicações e depois n sabem pq tem esse tipo de ex que inferniza. Antes de julgar, se pergunte como elas terminaram.

  4. Hevelyn Hespanhol disse:

    Estava gostando de uma amiga minha, ela é lésbica, então seria mais fácil.
    Bem… Demorou, mas eu consegui falar para ela o que eu sentia, mas já era tarde, ela já estava namorando e outra, disse que só me via como amiga!
    Bem, gerou grandes transtornos entre nossa relação de amizade, chegou até um ponto de cada uma deixar de se falar com a outra durante tempos…
    Mas ela mesmo disse que isso era para o meu bem! O tempo + a distancia iria resolver tudo…
    E resolveu, depois voltamos a nos falar… Hoje em dia, rimos de tudo que aconteceu no passado e conversamos sobre isso normalmente…
    Ainda gosto dela, mas também amo tê-la como amiga e convivemos tranquilamente com tudo que ocorreu…
    Às vezes ela fica falando: “Ah! Hevelyn, para de ser besta, eu sei que você me ama, não vive sem mim!”
    E eu sempre a chamando de metida! (risos).
    Espero que muitas consigam receber esse não… O primeiro não é muito complicado, mas depois você vai se acostumando…
    Como eu! Que sempre levo rejeição da minha amiga (risos).

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s