Marido desconfia que mulher seja bissexual

Publicado: 17 de abril de 2013 em Bissexualidade feminina
Tags:, , , , , , , , , , , ,

628x471Paulo* e Laura* têm uma filha e são casados há 10 anos. No início, a vida sexual do casal era bem ativa e com o tempo (como muitos casais) foi esfriando. Laura* não chegava perto dele e brigava se ele tentasse alguma coisa. Às vezes passavam dois meses sem encostar um no outro. Ela confessou que já não tinha mais nenhum interesse.

Certo dia, ela teve um sonho com uma amiga e contou a Paulo* como tinha adorado aquela situação. Mas ao contrário do que o marido poderia imaginar, todo aquele desejo por ele parecia ter voltado. Fazíamos “quase todos os dias, em todos os lugares”, contou Paulo* ao BlogSouBi por e-mail. “Isso, no início, me deixou um pouco assustado, mas como sou muito cabeça aberta e não tenho nenhum tipo de preconceito, aceitei essa fantasia dela”.

Ele chegou a propor que realizassem juntos a fantasia. Laura* respondeu que não tinha coragem. Os sonhos não pararam e ela sempre recorria a ele. Paulo* continuou achando tudo muito estranho e começou a indagá-la sobre a situação. Ela confidenciou que estava confusa, mas que tinha certeza de que tudo não passava de uma fantasia, logo passaria.

Como todo marido curioso, um dia ela saiu às pressas e ele decidiu “pesquisar” o histórico do computador dela. Laura* confessava tudo o que estava acontecendo a alguém. Ela dizia que estava começando a olhar as mulheres com outros olhos, queria beijá-las, senti-las. Ela queria contar à amiga sobre os seus sonhos, mas não tinha coragem.

Resultado: Paulo* está perdido e não sabe o que fazer. Ele me perguntou como poderia ajudá-la e pediu para que publicasse a história no blog para que outras pessoas pudessem colaborar com opiniões.

Abaixo, ele fez um mini-questionário ao blog. Tentei responder baseada no que as leitoras costumam me contar. Reforço que não há nenhuma base científica nas respostas, portanto é sempre bom conversar com a pessoa ou recorrer a um psicólogo, ok?

Como posso fazer para ajudá-la?

Pelo visto ela está bem perdida e não sabe muito bem o que quer. Acho que quando ela começou a ter os sonhos com a amiga dela, quis rejeitar esse desejo. E a melhor forma de fazer isso é recorrendo a você. Ao que parece, ela realmente queria estar com você e aparentemente não queria sentir o que estava sentindo. É o que as leitoras costumam me contar. Quando descobrem o desejo pelo mesmo sexo “insistem” com os maridos. É difícil ir contra os desejos e sentimentos. Não é culpa dela e sei que você compreende isso. Entendê-la e realmente apoiá-la será a melhor forma de ajudá-la na minha opinião. Converse com ela sem preconceito, diga a ela que quer o melhor. Não adianta forçá-la a ficar com você, se ela não sente mais atração. Você me entende? Até você vai poder ser mais feliz com outra mulher, se tudo isso que eu te falei for mesmo verdade. O mundo tem mais possibilidades do que imaginamos. Converse com ela, tente descobrir isso. Diga a ela para ir a um psicólogo sozinha, se ela preferir. Ela deve estar muito confusa e um especialista pode ajudá-la.

Será que o período que passamos sem sexo foi por causa disto?

Prefiro não afirmar nada. Mas pode ser.

Será que ela é realmente bissexual ou homossexual e não descobriu ainda?

Pode ser também. Aparentemente, ela está tentando rejeitar esse desejo ainda. É difícil para algumas mulheres essa aceitação. Algumas demoram anos para admitir para si mesmas a verdadeira sexualidade.

Será isso apenas uma fantasia sexual mal interpretada?

De repente um psicólogo pode ajudá-la a descobrir.

Eu a apoio a beijar a amiga ou outra mulher para saber se não se passa de um mal entendido?
Essa decisão é realmente sua. Há consequências e você sabe quais são. Talvez seja melhor conversar antes e tentar deixá-la livre para escolher o que fazer. Se você a ama de verdade vai deixá-la escolher o que ela realmente quer fazer da vida.

Será que ela não me ama mais?

Converse com ela, será a melhor opção.

Como posso fazer para que ela me conte tudo sem pressionar ou ser chato?

Converse da mesma forma que você conversou comigo. Diga sem preconceitos e sem querer pressioná-la a nada. Fale que você também é amigo dela e quer ajudá-la a ser feliz. E se essa felicidade não for com você, que você a ajude a ser com outra pessoa. Que você quer realmente o bem dela.

Por que ela me confidenciou os sonhos e a tentação que sentia?

Acredito que ela precisava conversar com alguém sobre isso e tratar isso de forma natural. Quis dizer que era apenas um sonho e etc. É o que parece. Mas repito, converse com ela amigavelmente e a ajude.

Paulo* também quer a opinião de vocês, se puderem colaborar, ajudas são bem-vindas.

*Os nomes foram substituídos a pedido do envolvido

Anúncios
comentários
  1. Erica disse:

    Minha resposta é pro amigo confuso…Meu caro, eu não gostaria de estar na sua pele. Eu também sou casada e passei por estes exatos momentos que ela está passando, até que assumi pra mim que quero sim conhecer uma mulher e amar e ser amada por ela. Descobri que só uma mulher pode me dar o que preciso, não falo de sexo mas de algo que é subjetivo e que não sei explicar. Estou me preparando para fazer essa viagem sozinha, pois o amor e o tempo dele acabaram. Mas eu falo por mim, não significa que ela seja como eu. O fato é que quando se constata isso, se assume, se rende, não tem mais como voltar atrás. Eu poderia continuar casada, mas é certo que seria infeliz pro resto da vida. Eu também sonhava, muitas vezes transei com meu marido com muito tesão porque o estímulo era uma mulher até que vi que não era isso que queria. Não sei se ela é gay ou não, só sei que é muito difícil para a mulher casada abrir isso pro marido por vários motivos. Para poupá-lo de decepções, para não traumatizá-lo, por vergonha, por medo do preconceito, por não querer assumir o final. Mas saiba de uma coisa: o problema não é você. Isso é com a gente, mulher. E talvez nada do que você faça possa mudar isso, se bem que conheço mulheres que estiveram com outras e depois voltaram para o casamento. Mas não se culpe. Certamente ela também está muito confusa. A vida vai se encarregar de dar a vocês dois a melhor solução. Abraços.

  2. Mariana disse:

    Situação um tanto complicada a sua hein Paulo!

    Muitas mulheres, quando se veem atraídas por outra, sentem um medo muito grande, e a reação primeira é rechaçar este sentimento, estas vontades.
    Digo por mim, quando comecei a me interessar por mulheres, me apaixonei pela minha colega de trabalho e quase enlouqueci. Na época ainda namorava meu ex namorado e, aos poucos, as coisas foram se invertendo: o interesse por ele diminuía e por ela só aumentava. Mas continuei com ele durante mais de um ano após ter despertado este interesse.
    Quando a situação ficou insustentável, pois considerava tudo aquilo falta de respeito com relação a ele, cheguei nele e pedi para conversamos e terminar o namoro, porque trair nunca foi uma opção para mim. Depois de muitas ofensas e agressões físicas por parte dele, após um período ele finalmente me deixou em paz. Hoje namoro uma mulher há quase um ano e meio e sou muito feliz com ela.

    Contei tudo isso para que vc, diante de tudo o que estão passando – e se for realmente verdade que sua mulher está se descobrindo -, não tenha atitudes como a que o babaca do meu ex-namorado teve.
    Respeite-a em primeiríssimo lugar! Não esqueça que foi ela que deu uma filha para você, e tenho certeza que vc a ama mais do que qualquer outra pessoa na vida.
    A sexualidade é algo muito complicado. Algumas pessoas lidam bem com isso, outras apenas fogem. Imagina o que não se passa na cabeça da sua esposa: casada há mais de uma década e uma filha. Ela certamente sentiu muita vergonha dos sonhos e pensamentos que vem tendo.

    Para vc Paulo, nem imagino o quão difícil esteja sendo, afinal, ela é sua mulher. Mas dê-lhe um pouco de espaço, sem pressioná-la, pois, quando ela vir que vc está respeitando algo que somente ela pode resolver com ela, naturalmente vai se abrir com vc.

    Abraços!

  3. Polly disse:

    Meu caro,acho que o melhor que vc tem a fazer é ser franco tambem com ela e deixar que ela faça a opção dela,não a aprisione nos seus sentimentos,seja aberto com ela e mostre-a que ela tem opção de escolha,pois a pior coisa na situação dela é viver prisioneira de um amor unilateral por medo de machucá-lo ou decepcioná-lo,se vc a ama liberte-a e deixe ela tomar a decisão, se ela amar vc de verdade ela vai ser sua,se não for isso que ela quer(ficar com vc) ela vai buscar o que a faz feliz. Jogue aberto e como a Erica falou, sinta-se sem culpa, na verdade isso não é culpa de ninguém.
    Grande abraço e boa sorte!

  4. Anônimo disse:

    Paulo querido, primeiramente acalme-se…, acho que um tema que pouco aparece aqui no Blog, se se eu estiver enganada por favor me corrijam, afinal de contas sou frequentadora aqui há pouco tempo e com certeza não li tudo que já foi postado por aqui, mas acredito que o tema da bissexualidade pouco discute como fazemos para conciliar desejos mútuos, afinal de contas se somos bissexuais desejamos, na teoria, homens e mulheres, na mesma proporção e medida, e ao mesmo tempo…
    Vejo no Blog extenso debate sobre o que é ser bissexual, como se descobrir, como aceitar, como lidar com os preconceitos, as diferenças entre homossexuais e bissexuais, a bissexualidade entre homens, e por aí vai…, mas pouco vejo, e aproveito para a tentar fazê-lo aqui dada a ocasião deste relato do Paulo, que é discutir a bissexualidade vivida em relacionamentos estáveis e que portanto necessariamente pressupõe relações compartilhadas…
    Eu sou mulher e bissexual, casada com um homem há 7 anos, e ainda não temos filhos, atualmente tenho 31 anos. Bem, como me apaixonei perdidamente pelo meu marido há 13 anos atrás, isso porque temos 13 anos de relacionamento somando namoro e casamento, e ainda sou perdidamente apaixonada por ele, mas ao mesmo tempo reconheço que não é porque ele chegou primeiro no meu coração, que meu corpo, mente, alma, deixaram de desejar mulheres…, sei que sou bissexual há 1 ano, porém desde a minha adolescência tive experiências com mulheres e homens, ainda que na adolescência mesmo não tenha mantido relações sexuais com mulheres, eram apenas beijos, amassos, o tal do ficar. Até conhecer meu atual marido me casar e nem por isso deixar de desejar mulheres e querer sair com elas…, logo discordo inteiramente do direcionamento dado pelos ouros comentários e pela autora do Blog do ponto de vista de que esta sua fase resultará necessariamente em uma escolha da sua esposa por você ou por mulheres…, acredito que assim como hoje eu faço em meu casamento você poderá fazer no seu. Sua mulher pode sim ter amigas com quem sairá para mais do que um cinema ou um café, você poderá saber disso ou não, a critério de vocês, ela poderá trazer isso para o sexo de vocês ou não, e desde que encontre uma parceira disposta a “dividi-la” nesta relação conjugal preexistente tudo estará resolvido, e não se tratará de escolhas que excluem e sim escolhas que conciliam, e por experiência própria acho que este é seu caso, mais do que o que foi acima colocado, se sua mulher já não quisesse mais estar com você ela não te procuraria nem mesmo para satisfazer as ânsias dos sonhos, coisa que também acontece comigo, muitas vezes vou para cama com meu marido pensando em mulheres, okay…, tudo bem…, a transa é excelente do mesmo jeito, eu adoro estar com os dois sexos, seja homens ou mulheres, a dificuldade é que sendo casada não tenho como em dedicar igualmente a ambos os desejos, um deles está sempre mais realizado que o outro, e digo que meu lado hétero está sempre mais realizado que meu lado homo, mas jamais abriria mão do meu marido, da minha vida a dois, do que construímos com amor, sinceridade e honestidade para realizar o desejo homo com mais frequência, até porque se o fizesse teria o mesmo problema futuramente só que ao revés, compreende?
    Enfim, acho que sua mulher só precisa de apoio para viver com a consciência tranquila esta fantasia sabendo que vivê-la pode não alterar em nada o que ela sente por você e ela pode continuar querendo estar casada com você e de vez em quando escapulir em aventuras com mulheres, e isso pode virar até acordo na relação..
    Enfim, essa é minha realidade e portanto estou lhe dado minha opinião com base em minhas circunstâncias.
    Desejo-lhe paciência e sabedoria nesta fase, e acredito na relação conjugal de vocês, acho que tem que lutar por ela e ajudá-la a conciliar a realização desta fantasia mesmo casada com você, afinal de contas isso é sr bissexual, gostar dos dois e mesmo em uma relação estável com um dos gêneros poder se realizar também com o outro gênero…

    • blogsoubi disse:

      Paulo*, pelos comentários, talvez você tenha percebido que a sua esposa pode pensar e se sentir de diversas formas. Ela pode querer viver um grande amor com uma mulher e tentar um namoro, por exemplo, ou poderia tentar “conciliar” o casamento com outras relações. Eu prefiro estar com um ou com outro, mas como já falei aqui outras vezes, obviamente não condeno esse tipo de relação. Sou a favor do que deixar as pessoas mais felizes – juntas ou separadas. Se quiser nos contar como foi a conversa com ela, fique à vontade. Abs e boa sorte! 🙂

  5. Paulo disse:

    Bom dia, primeiro gostaria de agradecer ao Blog pelo espaço e aos depoimentos e opiniões de todos, pois estão me ajudando muito a ter uma nova percepção de tudo…. Como eu já imaginava cada caso é um caso embora todos se pareçam e tenham algo em comum. Mas eu gostaria de direcionar algumas duvidas que tenho à anônima, esse sentimento é recíprocos em vocês dois? Ele realmente não se importa e não se incomoda em saber de suas fantasias e relações com outras mulheres? Não posso afirmar nada por não conhecer a relação de vocês, mas me soa estranho isto, pois quando se ama uma pessoa, a ideia de partilha-la deixa de ser uma opção (esse é meu ponto de vista) e no meu caso, eu não conseguiria dividir o coração, corpo e alma da pessoa que eu amo com outra pessoa (não importando que seja um relacionamento hetero, homo ou qualquer outro). E aproveitando o gancho, gostaria de pergunta a você se o seu sentimento em relação a ele também é mesmo… Explico: você não se importaria em nada que ele também se encontre com amigas ou colegas para um “algo a mais”? ou então que ele comece a sentir atração por meninas de 16 anos ou por mulheres com mais de 75 anos e resolvesse correr atrás e possuir essas mulheres… que ele divida a cama com você após ter transado com outro homem… ou transar com você pensando no corpo do melhor amigo… Ainda assim você não teria nenhum tipo de “grilo”???
    E quanto a tudo que esta acontecendo conosco (eu e minha esposa) e as conversas que tivemos, em breve estarei escrevendo aqui (assim que tiver tempo). Abraços.

  6. Anônimo disse:

    É Paulo…, suas questões são pertinentes e reais. De fato também nos fizemos parte destas perguntas, tivemos muitos destes medos e demos “graças” que tenha acontecido conosco neste formato, quero dizer, que eu seja a parte bissexual da relação, porque se fosse o contrário, se meu marido fosse bissexual eu não toleraria a ideia de imaginá-lo com outros rapazes e comigo ao mesmo tempo, ou seja, eu não gostaria de dividi-lo, seja, corpo, mente e alma com outros homens. Eu ao contrário do que posso oferecê-lo, quero dizer uma entrega somente a ele e plena, não saberia receber dele outra coisa se não esta entrega plena…, logo se fosse o contrário, se ele fosse o lado bissexual da relação, nós teríamos nos divorciado, e temos ambos consciência disso.
    Bem e aí diante de minha bissexualidade e desejo de vivê-la conversamos para saber justamente isso: até que ponto, em quais condições ele me “dividiria” e o que isso de conciliar esta relação nossa com as minhas experiências extraconjugais com mulheres representaria…
    Não vivemos um relacionamento aberto: eu não saio com outros homens em condições diversas e ele não sai com mulheres e ou homens, até porque é até o presente momento hétero convicto, em condições igualmente diversas, e logo procuramos manter o foco e o equilíbrio de nossos desejos e atrações dentro de nossa relação conjugal, a despeito de que não consigo negar que gosto de transar com mulheres e me sinto atraídas por elas. O que vivemos é: tenho amizades coloridas com algumas de minhas amigas, e que às vezes são também casadas e ora contam ora não para seus maridos que de vez quando vamos além de uma “tradicional” amizade entre mulheres, mas isso é delas e suas relações com seus parceiros, o que posso dizer é que meu parceiro sabe que vou para cama com algumas de minhas amigas e conciliamos isso em momentos e ocasiões oportunas, sem deixar de viver o desejo, mas vivendo-o na medida do possível. De toda forma e como já havia dito o meu foco é minha relação estável hétero vivida em meu casamento, isso frusta meu lado homo às vezes, sim…, mas nada que me impeça de querer continuar casada com um homem.
    Ele aceita que eu tenha relações com estas amigas, ainda que não as incentive e que preferisse que fosse diferente às vezes… e nós não trazemos para nossa relação a dois, minhas relações com estas amigas, quero dizer não vamos para cama a três.
    Não disse que era algo fácil, nem pretendia que parecesse, mas é algo possível, e amar pode ser isso também: querer a felicidade do outro e seu bem estar, e de fato, o fato de eu transar com mulheres não o magoa, o que definitivamente não seria a mesma coisa se eu transasse com outros homens, e se ele transasse com outros homens, como já coloquei se ele fosse a parte bissexual da nossa relação acredito que possivelmente já haveríamos nos divorciado. Ressalto que não vivemos um relacionamento aberto, vivemos um relacionamento hétero estável a dois, mas ele se casou com uma bissexual e sempre soube disso, e eu não prometi a ele que nunca mais desejaria ir para cama com mulheres e nem que não o faria depois de estar casada com ele.
    Espero ter te “respondido”, fico feliz que estejam em diálogo a este respeito e desejo que consigam fazer por vocês dois o melhor.
    Abraços.

  7. Anonymous disse:

    Olá para todos… Há pous mais de tres meses, notei que minha esposa (com quem sou casado e tenho filhas) comecou a virar noites no facebook conversando com sua professora… De inicio achei ruim o fato dela ter que trabalhar no outro dia e não se importar em ir dormir 3h00 da manhã. Conversei sobre a perocupação e ela rechaçou o que eu disse e falou que estava ajudando sua amiga, etc. A conversas foram ficando frequentes até que em uma viagem que eu fiz, ela mentiu dizendo que ia para a casa de uma amiga e saiu com a tal professora para um local afastado. Me senti traído e ela disse que nao poderia me contar que ia sair com a tal professora pq eu nao aceitaria e optou pela mentira. Me pediu desculpas, eu aceitei. No entanto eu sentia afastamento e frieza da parte dela… Notei que as conversas continuavam até que um outro dia, descobri um encontro delas na casa da professora… Daí descobri um outro encontro, onde qdo eu disse que descobri, ela perdeu o sangue da boca, e me disse que tinha ido encontrar a amiga para um suposto fim da amizade delas… Porém, continou a frieza e as conversas via redes sociais, onde através de monitoramento, vi frases como “pode me procurar sempre que quiser, não estou mais nem ai… Tudo isso levou aprox 3 meses e eu amadureci a decisao de me separar não apenas por esse motivo, mas por vários outros… Mas este em questão foi forte. Qdo comuniquei a separação, ela enlouqueceu, diz que me ama, que descobriu isso de novo, quer fazer de tudo. Notei que ela entrou na rede social e apagou as ultimas conversas com a professora e nunca mais entrou. Agora quer pq quer que eu volte, que eu nao saia de casa, etc… Porém estou decidido a fazer, pelo menos por enquanto. Ela se voltou para a religiao, etc. Ela não assume que teve nada, só fala que nao estava legal, com problemas, etc. Para mim, nao precisa falar, pois todas as atitudes falam por si só. Ah, eu ainda no meio da crise, chamei para uma terapia de casal e ela preferiu uma terapia individual, com uma terapeuta indicada por uma pessoa que sei ser lesbica, enfim… quero ajuda-la, mas como? Voltar, dificil… Quebrou confiança, ainda a desconfianca dessa questao individual que é a sexualidade… acho que a reacao de quem perde é tentar nao perder, num primeiro momento, mas depois cai na real e pode se descobrir, etc. O que acham e opinam os amigos e amigas, pode ter sido uma questao passageira na cabeça dela, ou de fato ela tem a bissexualidade e isso vai atormentar a vida toda se nao se assumir? Obg!

    • blogsoubi disse:

      É difícil opinar, porque não sabemos de fato o que estava acontecendo. Ao que tudo indica, parece que ela não quer aceitar a sexualidade dela. Ou ela te ama, mas também quer viver essas aventuras. Acho que o problema todo está na mentira. Você descobriu que ela mentiu várias vezes e ela continuou mentindo. Mas ao mesmo tempo, ela deve estar fazendo isso porque está perdida e de repente não queria sentir tudo isso, mas é mais forte do que ela. O que você sente em relação a ela? Ainda há possibilidade de viver um relacionamento saudável? Se sim, tente conversar com ela abertamente. Diga que você não quer mais mentiras. Veja se ela se abre com você. Acho que com uma conversa franca será mais fácil tomar decisões.

  8. Erica disse:

    Posso falar por mim. O meu marido descobriu. Não tinha tido nada com ela, mas tinha me apaixonado de verdade. Contei tudo, fui honesta, abri o jogo. Ele sofreu muito, chorou. Nós não sabíamos o que fazer, nem eu, nem ele. Depois ele tentou entender o que estava acontecendo comigo. Nós passamos por cima disso, mas não teve traição, não fui pra cama com ninguém. Ele até sugeriu que eu tivesse essa experiência, mas com ele, o que eu não quis. Hoje meu amigo, posso te dizer…o meu relacionamento ainda é bom, mas não é o mesmo. Nós temos filhos e isso pesa muito numa decisão de sair de casa. Mas sei que é o que vou fazer daqui a algum tempo. Pode ser que a sua esposa tenha sido iludida, seduzida por alguma mulher. Às vezes mulheres casadas estão carentes e num momento podem se deixar levar por um pouco de romantismo, uma aventura sem sentido. Não significa que sua mulher seja gay. Ela pode ser bi, ou mesmo hetero e esteve envolvida num romance. Mas acho que ela errou em ter mentido. Foi a mentira que destruiu a confiança entre vocês, não foi a aventura dela. Vou te dizer o que me disseram uma vez sobre o casamento: se a reparação é impossível, a separação é inevitável. Cabe a você decidir: é possível reparar? Mas de qualquer modo, te falo por estar na pele dela. Perdoa a sua mulher. Ele não fez nada pra brincar com você. Se ela fez algo foi por ela. Por resolver questões que a envolvem e que nem você poderia ajudar. Abração.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s