Em qual idade é melhor assumir a bissexualidade (ou homossexualidade)?

Publicado: 6 de março de 2013 em Bissexualidade feminina, Bissexualidade masculina, Mundo LGBT
Tags:, , , , , , , , , ,

NúmerosLembro até hoje da primeira vez que a minha mãe desconfiou que eu gostava de mulher. Eu tinha uns 10 anos. Disse a ela que estava gostando de uma pessoa. Ela ficou aparentemente nervosa ao perguntar: “Quem?”. Falei que era um garoto da minha escola (e era mesmo). “Ahhh…”, ela sorriu, parecendo aliviada. Mesmo com aquela idade compreendi o seu alívio. “Mãe, você pensou que eu era lésbica?”. Ela negou. Mas eu sabia que era mentira.

Óbvio que a minha mãe achou que eu fosse lésbica. Naquela época eu era praticamente um moleque (conto mais sobre isso nesse post). O meu grupo de amigos era os meninos. As minhas brincadeiras eram as deles: videogame, futebol, bolinha de gude e por aí vai. Apesar disso, naquela época eu gostava apenas de garotos.

Ou pelo menos ainda não entendia que poderia me interessar por mulher. Lembro que eu fazia umas aulas em um clube perto de casa e uma menina me chamava atenção. Eu sempre olhava pra ela, mas nunca entendia o porquê de não querer tirar os olhos da garota. Hoje parece tão óbvio.

Os anos se passaram, fiquei feminina e comecei a namorar com os garotos. Até então, nunca tinha me apaixonado por uma mulher. No colégio, poucas meninas eram assumidas. Aliás, fiquei sabendo apenas alguns anos depois das experiências homossexuais de algumas pessoas. E elas aconteceram depois do colégio (até onde eu sei).

Naquela época de ginásio (hoje o Ensino Médio) só lembro de uma história sobre beijo lésbico. Era de uma amiga minha. Ela sempre falava que precisava me contar algo. Eu dizia, pode confiar, eu já imagino o que seja. Eu sabia que ela gostava de mulheres. Mas ela nunca falava, sempre dizia que um dia me contaria. Em uma determinada semana, ela faltou durante três dias. Perguntei a uma amiga o porquê daquilo. Lembro com exatidão da resposta: “Uma pessoa do colégio a viu beijando uma mulher na balada e, com vergonha, ela deixou de vir à aula”.

Fiquei imaginando como ela deveria estar se sentindo. No colégio, as pessoas são maldosas, fofoqueiras e hipócritas. Sim, porque muitas meninas tinham vontade, mas criticavam.

Anos depois, essa mesma menina envergonhada me chamou para a festa de aniversário dela e me apresentou a namorada sem qualquer constrangimento. Ela era lésbica assumida com orgulho. Foi uma felicidade ver esse progresso.

Em contrapartida, já conheci garotas que se assumiram tranquilamente aos 13 anos, outras aos 15 e etc.. Enfrentaram todos sem nenhum tipo de embaraço. Muitos psicólogos, porém, dizem que a pessoa só terá “certeza” sobre a sua sexualidade na idade adulta. Difícil saber.

Não há idade para se assumir. O que na verdade existe é muita coisa para influenciar positivamente ou negativamente. O ambiente, a fase da vida, a família, os amigos e você mesmo. Tudo isso é importante para ajudar a você se aceitar ou a se entender.

Acredito que eu me descobri no momento certo, sem crise. Se eu, aos 10 anos, respondesse que gostava de uma menina à minha mãe, talvez tivesse sido mais difícil me aceitar. Ela também teria dificuldades para aceitar naquela época. Conhecendo minha mãe, sei que mesmo não gostando muito, ela aceitaria. Mas com algum custo. Talvez ela chorasse ou talvez preferisse esconder aquilo de todos. Não sei. Mas aos 25 anos, o diálogo com ela foi outro. Antes que eu pudesse contar, ela me perguntou se eu era bissexual. Eu disse que sim. “Filha, não tenha medo de me contar esse tipo de coisa. Quero que você seja feliz com quem ou do jeito que você quiser. Vou te apoiar em tudo”. E ufa.

Há quem descubra esse desejo aos 40, 50, 60, não importa. Há aqueles que por vergonha nunca quiseram se assumir e preferiram viver uma mentira e há outros que realmente viveram felizes em uma vida heterossexual. Muita gente não tem oportunidade de realizar os seus desejos, então a vida passa e vem o casamento, os filhos, a carreira e uma série de outras coisas. Não quer dizer necessariamente que o desejo estava “enrustido”, como muitos gostam de falar. Só que a vida tomou um outro rumo, um rumo que você gostou. Mas, de repente, acontece algo na sua vida que pode mudar tudo.

Cada um tem o seu tempo, você vai descobrir o seu. Assim espero.

Anúncios
comentários
  1. Stefanny disse:

    Oi, me chamo stefanny tenho 16 anos e ñ tenho a menor idéia de como assumir minha bissexualidade queria q minha família aceitasse como sua mãe aceitou,moro com minha avó e ela é super religiosa e nunca aceitaria. Qnd tento entrar no assunto ela diz q deus ñ permite esse tipo de coisa, e q se tivesse uma Pessoa gay na família ela nunca aceitaria. Namorei uma menina por um tempo, nós disfarçavamos pra ela ñ descobrir, mas me sentia muito mal de ñ poder expressar meu amor como eu queria, tinha q me esconder ou disfarçar a qualquer momento, ai ñ aguentei mas e terminei, sofri muito, mas meu medo era maior. Quero muito contar mas como? Me ajuda…

    • Naara disse:

      Oláá.. stefanny.. Eu também tinha o mesmo problema, Familia religiosa e tals..
      Minha namorada assumiu com 14 “Bi”
      Eu Esperei ate completar 18 anos pra assumir “Les”..
      Foi relex, meus pais aceitaram de boa, ainda tem “aqueles” que nao aceita..
      mais não dou a minima..

      18 Anos no armario.. Nao é facil..
      #..Acho q vc devia esperar.. (minha opnião)#

      (Ñ querendo te assustar) Mass.. Dependendo se sua familia nao aceitar mesmo.. Pode ate por pra fora de casa.. :\
      ..tenso..

      Bjks’

    • Amanda disse:

      Eu te entendo estou meio que na mesma situação.

  2. A.Carvalho disse:

    eu estou tentando me decidir ainda,tenho uma amiga que é bi e foi por ela que eu começei a pensar nisso eu estou muito confusa e nao consigo me decidir,por isso eu estou lendo varias coisas sobre o assunto,e na minha sala tem 3 garotas que eu as acho muito lindas,eu so ainda nao falei pra minha amiga que ela esta me ajudando com isso,enfim eu nao sei o que decidir ainda….

  3. Dany disse:

    Ese negócio de psicologo achar q só pode afirmar e ter certeza de sua homo ou bissexualidade depois de adolescência me parece preconceito, e m parece q a eles custa crer q mesmo muito jovens muitas pessoas em sua maioria já sabem e tem ctz do q realmente gostam e querem, o q há de errado nisso? Pq a certeza só pode vir na fase adulta? Então me diz, pq muitos já se sentiam diferentes não só no começo de adolescencia, mas tb na infancia e assim contibnuaram até hoje? Se fosse como eles falam, essas pessoas teriam ficado heteros depois q passasse a adolescencia, falta acreditar mais nas pessoas, acho q é um pouco de preconceito desses “profissionais”,

    • T. disse:

      Concordo com a sua resposta, Dany! As pessoas vivem falando que é só uma fase e blah blah blah, que um dia passa. Mas na verdade, isso é hipocrisia por parte deles e um pouco de preconceito também.

  4. Telma disse:

    Na verdade, no tempo certo as pessoas descobrem como e qt se assumir. Qd estiver bem consigo mesma e se aceitar. Eu não sei se é impressão minha, mas a maioria que se assume bi, são mulheres. Será que os homens tem mais dificuldade de se assumirem bi? Quem sabe essa possa ser o tema de um poster aki…. Bjao

  5. A.Carvalho disse:

    alguma pessoa pra ser meu amigo ou amiga por aqui??que fale sobre esses assuntos??

  6. mayara disse:

    realmente esse coisa de idade é meio complicado,e dificil de ser definido,eu por exemplo sou bisexual,não sou completamente assumida mas algumas pouquissimas pessoas em que confiam muito tive coragem de contar,porém pra uma tia minha que contei só tive coragem de dizer que gostava de mulheres e não que era bissexual,acho que por minha tia ser mais velha fiquei com receio de uma possivel reprovação,já que ela “aceitou”super bem a ideia de que eu seria lesbica,não sei se seria assim se eu disesse que era bi…acho que é mais dificil se assumir bi,por isso eu não faço mais questão de rotular nada,estou namorando uma mulher e é isso que importa,não tenho mais aquela preocupação em dizer “formalmente”pra minha familia,decidi deixar que cada um entendessem toda aquela enorme “amizade”com uma mulher como quisessem…

  7. Ana disse:

    Gosto do seu blog, mas os últimos posts estão mais para um casal de lésbicas do que Bi, propriamente. Gostaria de mais posts que falem de uma mulher Bi que namora, é noiva ou é casada com um homem, mas sente atração por mulheres.

    Sei que há muito preconceito também por parte dos homens que confundem com essas que frequentam swing e gostam de variar tanto com homens quanto mulheres ou com essas que fazem pose beijando ou até ficando com mulher pra provocar os homens e se sentir a pegadora dos machos.

    Sou noiva de um homem, mas sinto muita atração por mulheres. Ele me entende e não tem preconceito. Eu confesso que tenho a fantasia de dividir nossa cama com outra. Acho que a maioria das mulheres sente prazer nessa fantasia, mas a insegurança é o alimento do ciúmes e da negação. Felizmente me livrei disso confiando mais no meu taco.
    Conheço várias amigas que só confessaram que sentiam desejo nessa fantasia depois de negar várias vezes.
    Por que nós mulheres somos tão complicadas?

    Ser Bi não significa apenas ficar com um ou outro sexo por vez. Vejo que a maioria das Bi acabam se casando com um homem, mas continuam com seu desejo por mulheres que, se não for realizado, deixa a gente maluca. Por que não ter os 2 e unir o útil ao agradável? Podemos casar normal, ter filhos e ainda ter uma amiga íntima.

    Isso faz de nós as mulheres mais perfeitas e desejadas pelos homens, então meninas, valorizem-se!

    Por favor, escreva mais sobre esses conflitos e não apenas sobre namorar outra menina. Isso os blogs de lésbicas já fazem.

    • blogsoubi disse:

      Ana, tudo bem? Agradeço a sua sugestão. Na verdade, eu sempre falo um pouco dos dois lados. Nesse post mesmo citei um pouco da fase em que eu me interessava apenas por homens (ou pelo menos achava isso).

      Acho que tudo é válido quando existe um acordo entre o casal. Se você e seu marido concordam com essa questão, pode ser algo bem interessante. Mas eu não partilho dessa opinião, Ana. Mesmo porque você pode se apaixonar por essa “amiga íntima” (apesar de jurar que isso não seja possível). Quando eu namorava um homem também julgava que não seria possível me apaixonar por uma mulher.

      Antes de tudo isso acontecer eu pensava como você. Acreditava que era possível unir o “útil ao agradável”. Os homens eu me apaixonava, enquanto as mulheres eram apenas um desejo. Com elas, naquela época, eu queria apenas me envolver fisicamente sem me relacionar emocionalmente.

      Mas, como já te disse, respeito a sua opinião e acho que você tem todo o direito de realizar os seus desejos. Há várias linhas de pensamento e não podemos nos ater apenas a uma. Cada pessoa se sente melhor se relacionando de uma determinada forma. Há casais liberais que são felizes com a opção que escolheram, como há casais que preferem apenas curtir um ao outro para sempre. Eu prefiro a segunda opção.

      Abs!

      • Dany disse:

        “Com elas, naquela época, eu queria apenas me envolver fisicamente sem me relacionar emocionalmente. ”

        Para Amanda:

        É esse lance q as lésbicas não entendem q acontece om quase toda bissexual rec´wm descoberta, ate ela ter plena consciência do q a atrai em uma mulher e o tipo de mulher q as atrai, o q não quer dizer q só pq NO COMEÇO a gente só pensa em uma mulhe fisicamente não vamos levar a sério uo não estaremos abertas a manter um relacionamento. Muitas vezes estamos, mas muitas vezes são as lésbicas q não sabem bem o q qeurem e querem todas ao mesmo tempo ou nenhuma, então pq só as bissexuais tem q ser condenadas? É ISSO q me revolta!! As vezes precisamos de tempo pra organizar nossas idéias e desejos e descobrir quem queremos, como queremos, sesão os 2 ao mesmo temmpo, se separadamente ou escolher somente um dos lados, fim, era isso q elas tinham q entender ao invés de complicar, e não escutam, acham mais fácil e mais comodo criticar e se fazer de vitima “ai, elas as bissexuais vão denegrir minha imagem de lesbica” “ai, ela são promiscuas e as pessoas vã oachar q eu sou tambem e vão achar q eu escolhi sere lesbica pq ela escolheu ficar com mulheres” meu Deus, eu só não libero meu vocabulário aqui em respeito ao seu blog, pq senão me desculpe, eu não me conteria e não responderia por minhas palavras!!! É cada argumento imbecil q Deus me livre, primeiro vc tem vontade de xingar a criatura, i”ndividua”, a cidadã, depois arremessá-la do ultimo andar do prédio, ou colocar uma mordaça na boca dela pra ver se para de dizertanta asneira ou mesmo dar uns tapas na cara pra ela acordar, aff desculpa, ando meio estressada ultimamente com tanta ignorância por uma coisa tão simples, dai eu reajo com IGNORÂNSIA de vomito e de raiva!! Se quiser editar o post, tudo bem, mas preferia q mantivesse assim, pra realçar minha indignação, pois não postei com intuito de desrespeitar a política polida do blog e nem provocar ou incentivar conflitos entre leitoras e discórdia de opiniões, é q certas coisas me tiram do sério MESMO!!! Ai eu preciso por pra fora e desabafar de alguma forma, faço isso no meu blog tb, lá falo mesmo o q penso e o q der na telha kkk!!

        Ana, apoio vc unir o util agradável, não custa nada vc experimentar uma mulher e um marido pra ver o q rola, desde q seja clara com ambos. Tens vojntade de ir ao swing? Pelo pouco q vc descreveu sobre seus desejos acho irá curtir, pelo menos tenta encontrar um asal com uma mulhere bi e tente uma experiencia de beijo e ver como se sente. Resta saber se seu namorado vai concordar e , como swing consiste em troca de casais, será q ele ficaria com um homem? Não estou incentivando nada, apenas questionando pq o swing trata disso. Mas se vcs forem muito ciumentos um com o outro e ao invés de aprimorar a relação trouxer mal estar e desentendimentos, não recomendo.

  8. Dany disse:

    E só pra constar eu tambem prefiro mil vezes um relacionamento estável e duradouro, mas ng sabe até onde o “pra sempre” vai durar, o q depende da sorte de certas pessoas e casais, e se vc sente falta de contato fisico e novas experiencias e isos não é possivel por falta de chance de um namoro, não custa nada procurar por novidades q te possibilitem esse contato, desde q que com precaução, sempre!!

    • blogsoubi disse:

      Verdade, o “pra sempre” é bem mais difícil de conseguir. Mas nada é impossível. E se acabar, temos só de conseguir renovar as nossas forças para tentar a felicidade novamente.

  9. Manú Keith disse:

    Antes de poder entender que eu sentia atração por homens e mulheres sofri um tremendo assédio moral na escola pelos coleguinhas que já sabiam antes de mim que eu era “maria homem” e “sapatão”. Me tornei homofóbica e neguei todo sentimento que uma mulher pudesse despertar em mim. Gostei muito desse post. Principalmente no final quando diz que algumas mulheres não vivenciam a relação com outra porque a vida não levou por esse caminho, é o que acontece comigo. Levei 30 anos para superar o trauma e me descontaminar da homofobia. Logo após entender que não há imoralidade em ser gay ou lésbica eu percebi que o desejo que certas mulheres despertam em mim significa que eu sou bi. Durante os anos de busca e tratamento conheci um homem e casamos. Hoje eu poderia sair e procurar uma mulher, poderia viver a delícia de cheirar uma mulher, de amar um ser delicado e frágil, vulnerável, feminino. Não descarto que isso possa acontecer um dia. Descobri que não tenho esse poder que eu achava que tinha de dizer: Não vou me relacionar com mulheres nunca ! Até porque, mesmo sendo homofóbica e negando a minha bissexualidade eu tentei, mesmo depois de casada, ficar com algumas mulheres. Alguma coisa sempre dava errada. Ou eu me declarava para uma mulher hétero que estava brincando com a minha neurose ou as circunstãncias me afastavam daquelas que realmente me queriam. Para o meu marido, o nosso encontro, nossa união sexual, nossa intimidade, nosso ajustamento, nossa harmonização, nosso amor a vida disse sim. Sempre sentirei falta de saber o que é o amor de uma mulher e sempre me sentirei realizada por saber o que é o amor de um homem verdadeiro. Nem todos os desejos podem ser realizados mas todos podem ser entendidos e aceitos.

  10. Manú Keith disse:

    PS: Achava que eu sentia desejo por mulheres porque minha mãe não demonstrava afeto por mim, me diminuia constantemente, me batia. Pensava que meu desejo por mulheres era uma reação a isso, uma compensação. Hoje percebo que minha mãe não gostava de mim porque ela sabia que eu era diferente. Provavelmente ela também era e tambem nao aceitava. Ela não me tornou bissexual por nao me dar carinho, ela não me deu carinho porque eu era bissexual. Ou talvez porque ela fosse bissexual e projetasse em mim o ódio que sentia por si mesma. O meu desejo por mulheres foi sim, contaminado pela relação triste que eu tive com ela e pela homofobia que eu sentia contra mim mesma. O meu desejo se tornou doentio. A psicologia me indicava que eu deixaria de sentir desejo por mulheres se fizesse as pazes com ela, ou seja, se resolvesse o complexo materno. Demorou uns 10 anos mas eu consegui compreende-la, perdoa-la e ter uma boa relação mae e filha. Mas as mulheres continuam me atraindo. A diferença hoje é que apesar de gostar de mulheres eu não estou “desesperada para comer uma” que era como eu me sentia antes de entender que minha mãe me ama mas não sabe expressar. Isso estava relacionado em mim. Era como se eu precisasse ser venerada por uma mulher para ter certeza de que eu tinha valor. Hoje a espiritualidade me indica que eu tenho valor, não preciso de nenhum homem nem de nenhuma mulher para me confirmar isso. A felicidade existe para quem não está envolvido sexualmente com ninguem, para quem vive com alguem do sexo oposto ou do mesmo sexo contanto que cada um compreenda que aprender a amar é fundamental.

    • Aline disse:

      O importante é que hoje vc pode ser feliz e superou tudo isso… na verdade a “descoberta” da bissexualidade não deve ser fácil pra ninguém…
      E claro, a felicidade só depende de nós mesmos.

  11. T. disse:

    Lembro que, quando eu tinha mais ou menos uns 8/9 anos eu falei pra minha mãe que gostava de uma amiguinha, e minha mãe desesperada perguntou “mas é só como amiga, né?”. Eu sem entender nada, respondi que era só como amiga. Mas sempre gostava de ficar olhando pra ela, e sem entender o porquê que eu gostava de ficar olhando. Isso durou até meus 12 anos. Mas quando eu tinha 11, tive 2 paixonites por meninos também. Quando entrei no ensino médio, com 15, acabei desenvolvendo outra paixonite por uma lésbica 1 ano mais nova que eu, e isso durou até ano passado. Atualmente, tenho 18, e continuo indecisa HUAUHAUHA.

  12. Gabi disse:

    Oi eu tenho 21 anos e tô num dilema terrível. Eu não sei ao certo se sou bissexual ou lésbica. Acho que não explorei o suficiente minha sexualidade para me definir, e acredito que isso é resultado do quanto eu fui reprimida pela minha família.
    Estou querendo me assumir e mostrar quem eu sou pra todos e finalmente me sentir livre pra explorar mais a minha sexualidade e entender se eu gosto apenas de mulheres ou se gosto de homens também. A minha dúvida entre a bi ou homossexualidade é pelo fato de ter me relacionado afetivamente com direito a envolvimento forte com homens, mas o ato sexual não ser totalmente concretizado nos meus 3 namoros com homens por uma aversão minha a penetração em si, sexo oral e etc rolava. Namorei uma garota (escondido da família) curtia muito meu relacionamento com ela e tínhamos uma sintonia sexual bacana mas me sentia uma “criminosa” e me odiava por isso toda vez depois que ocorria as relações intimas entre eu e ela. Não sei o que fazer, meu bloqueio é tão forte que não me sinto a vontade pra abrir essa questão com minha psicóloga. Me ajudem, o que eu faço? É precipitado assumir que eu sou bi?

    • blogsoubi disse:

      Gabi, se preocupe menos em se definir e mais em se conhecer melhor. Você já sabe que tem bloqueios com homens e com mulheres. Acho que vale tentar falar com a sua psicóloga pra entender isso. A respeito dos homens, é difícil saber porque você tem esse bloqueio, em relação às mulheres deve ser por conta do preconceito, de achar que está fazendo algo que não é natural. Abs e boa sorte!

      • Gabi disse:

        Obrigada pelo conselho, eu vou tentar nas próximas sessões com a psi me abrir mais, pq eu cansei de sofrer com essa situação. É dificil vencer o preconceito que existe dentro de nós mesmos e que foi cultivado não por nós, mas pelas pessoas que reprimiram você a vida inteira. Assim que eu estiver convicta de tudo volto aqui pra compartilhar com vocês. MUITO OBRIGADO ADORO ESSE BLOG!

  13. *Ana Paula* disse:

    olá… não quero expor meu nome por enquanto, falar sobre isso é muito difícil pra mim…
    eu tenho 18 anos e até hoje me envolvi com poucos garotos, seila oque acontecia sempre travava diante de algumas situações, já gostei sim de alguns mas nunca foi aquele gostar…
    desde que nasci fui criada na igreja e sempre escuto dizerem que é pecado e tal, não vou mentir pra vcs eu concordo diante do que esta escrito na bíblia, até pq fui criada nesse conceito biblico.
    mas eu não sei o que esta acontecendo comigo sabe, a algum tempo, alias muito tempo, eu comecei a pensar coisas que antes não pensava, comecei a sentir algo que antes não sentia ou então não percebia por outras garotas, em algumas ocasiões eu até desejei beijar uma garota.
    mas isso foi se tornando mais intenso aos 16 anos quando conheci uma amiga que mexeu muito comigo, ela era extremamente carinhosa e eu adorava isso, quando me dei conta eu estava morrendo de ciumes, adorava seus carinhos e tudo mais, no começo pensei ser coisa da minha cabeça mas com o tempo percebi que sentia uma forte atração por ela,então acabei me afastando, isso me deixa confusa demais, nunca me envolvi com garotas pois tenho medo até pq sou de uma igreja, mas as vezes eu penso como faço pra saber se sou bi les ou hetero? eu tenho medo da minha família, minha mãe ja me fez vários questionamentos, ja disse que ja percebeu que não sou normal, toda vez que ela me julga me faz perguntas afirmando algo isso me entristece, ela fica sempre tentando arrumar alguém pra mim, isso me faz sentir a pior pessoa do mundo…. um dia ela disse que se fosse pra mim ser les ela preferiria que eu morresse, só Deus sabe o tanto que chorei nesse dia… muitas coisas passam pela minha cabeça, tenho vontade de desabafar isso com alguém mas temo ser rejeitada, meus amigos são muitos preconceituosos, e eu ainda nem tenho certeza, quando li esse blog pela primeira vez me senti muito bem pois vi que não era a unica a ter conflitos dessa forma, acompanho sempre o blog, agora eu queria que vcs me dessem suas opiniões diante dessa situação pq eu já não sei oq fazer, como faço pra ter certeza da minha sexualidade?
    desde ja agradeço…
    beijoss

    • blogsoubi disse:

      Olá, tudo bem? Imagino como você deve estar se sentindo. Essa é a realidade de muitas pessoas por aqui também. Pais que não aceitam, amigos preconceituosos e por aí vai. Acho que enquanto você não se envolver com nenhuma mulher e ter certeza sobre os seus sentimentos, é difícil dizer mesmo. Se você achar que vale a pena investir nessa sua amiga ou em alguma outra mulher, pode ser um bom começo. Se você decidir por isso e perceber que realmente gosta dessa mulher, daí acho que vale lutar para tentar conversar com seus pais e amigos. Não sei se será o caso dos seus pais, mas muitos relutam no começo e depois acabam aceitando. Pais de amigas minhas passaram a aceitar com o tempo, mesmo sendo religiosos. Acho que quem ama passa a entender e a respeitar o filho, não é? Infelizmente isso não acontece em todos os casos. Não vou te dizer que será fácil. É difícil contar mesmo pra pessoas que aceitam. Então, se você perceber que é isso mesmo que você quer, precisa ter coragem para enfrentar todos esses desafios. Aliás, o que sua mãe achou do caso da Daniela Mercury? Talvez ela seja um exemplo a se debater dentro de casa. Várias revistas fizeram grandes matérias falando sobre o assunto. Vale a pena compartilhar com essas pessoas que ainda não aceitam. E se você achar que vale, também consulte um psicólogo para tentar se conhecer melhor. Pode ser bom desabafar com um profissional. Um grande abraço!

      • *Ana Paula* disse:

        obrigado pelo conselho, sobre o caso da Daniela Mercury minha familia não diz nada a respeito, eu nem gosto de debater algo assim, até pq sempre que falo algo eles pensam que estou defendendo, então falar com eles ja desisti mesmo, esse ano discubri que uma amiga minha é les, minha mãe tbm descobriu resumindo tive que me afastar pra evitar mais conflitos, meus pais queriam falar com os pais dela pra ela parar de conversar comigo, ai como ela não é assumida eu decidi me afastar para o bem dela, o pior é que ela ficou com muita raiva… nunca mais falei com ela… mas vou ver se falo com algum psicólogo sobre esse assunto sim …
        muito obrigada mesmo…
        até mais

  14. Hevelyn Hespanhol disse:

    kkk Me assumi este ano com meus 16 anos…
    Nunca me envolvi com uma menina, mas nunca deixei de me apaixonar por várias…
    Sei o que eu gosto e não sinto vergonha!
    Ah! Meu pai disse palavras lindas para mim que nunca irei esquecer:
    “Você é a milha filha, iremos te apoiar até o final, pois te amamos. Se eu precisar matar alguém que ousar tocar em você, eu matarei! E não esqueça de apresentar a moça para nós quando você a encontrar!”
    ^^… Espero que ocorra bem com todas vocês como ocorreu comigo…
    Beijocas s2

  15. ViSoares disse:

    bem… o meu caso é complicado rsrsr… tenho 20 anos casada ha 3 anos com um homem, sinto uma vontade louuuuca por mulheres, mas nao tenho coragem de assumir publicamente, pois minha mae sabe, a família minha toda sabe, mas nao falo publicamente, nunca tive relacionamento com mulheres, só com homens e sempre fica faltando algo ( é como se dentro de mim tivesse um homem) mas sei q sinto atração, tesão por mulheres, ja falei pra ele e propus q façamos sexo eu ele e mais um mulher, mas ele nao concorda, disse q nao aceita, q eu estou com ele é com ele e pronto, ja pensei em larga-lo, mas gosto dele… ai pra completar me aparece uma…. q afff acaba comigo, ela me causa sentimentos inexplicáveis, sensações maravilhosas, (um dia eu estava muito nervosa e ela simplesmente acariciou o meu rosto e disse q tudo daria certo, foi a melhor coisa do mundo, eu senti aquele toque em meu rosto por diaaas) mas eu nao sei se ela gosta de mim ou se é só impressão,ou coisa da minha cabeça, e eu tenho medo de chegar nela e perde-la… há eu sempre sonho transando com mulheres, acordo molhada….

    o que vcs acham???????????????????????????????????

  16. Carol disse:

    Não posso e não quero dar conselhos hoje… Pq sou eu que preciso rs. Eu gosto de uma garota que tem medo de se envolver. Passei até a crer que ela deixou de gostar de mim.. Pois antes tínhamos uma relação de “amizade” (pq nos gostávamos e estava mais para amizade colorida) muito intensa e terna. Depois de um tempo, do nada ela começou a arrumar motivos fúteis para brigarmos e se afastar de mim. Eu ñ entendo mt até hoje o real motivo q a levou a agir assim. O q pode ter acontecido?

    • Rah! disse:

      Oi, Carol. Tudo bem? Bom, embora eu nunca tenha feito nenhum comentário, acompanhei a sua história pelo blog. Achei incrível a coincidência de vcs terem se encontrado por aqui kkkkk É o tipo de coisa que a gente só espera que aconteça nos filmes rs.
      Deixa eu me situar… Vcs mantiveram uma relaçao boa de amizade depois de vc ter confessado a ela que estava interessada? Essas “briguinhas” aconteceram recentemente?

      • Carol disse:

        Oi Rah! Você de novo aqui no blog 😀 Bom, eu estou indo… rs mas e você, tá tudo bem?
        Olha, eu nem sei exatamente como iniciar o meu pesadêlo rsrs É uma história bem complicada, cheia de nó… Fico louquinha, Rah!, porque o que me aconteceu é tipo, surreal :/ . (deixa eu começar a escrever o meu livro aqui ^^ rs)

        Bem, eu já havia dito aqui antes que assim que descobri o blog eu JAMAIS imaginaria que ela pudesse SEQUER ter pensado no assunto “bissexualidade”. Ela é muito “hetero”, tem carinha e jeitinho de barbie, não parece que curte. Mas, eu estava completamente enganada. Ela curte kkkkk. Daí que no meu 1º comentário aqui no blog eu fui detalhista demais. Os fatos que nos ocorreram eu os descrevi. E como até então ela já rondava por aqui, foi tipo… PAPUM! Start ao meu pesadêlo! Digo pesadêlo porque ela começou a se passar por outras meninas, tudo que nos acontecia ela citava no decorrer das histórias, com pequenas alterações apenas. Até que ela me pediu o email, alegando querer conselhos e tal. Ok. Dei o meu email e começamos a nos comunicar diariamente. Só que, antes dela me pedir um meio para contato eu já desconfiava, mas sempre ficava pensando: “Não, não pode ser! Como assim? Isso é loucura… Isso é loucura. Ela não gosta de mulher…ou melhor, mesmo que goste de mim como eu desconfio, devido a seus olhares e comportamentos qnd próxima, ela jamais faria uma loucura dessa e se declararia para mim dessa forma!”. Depois dos emails eu tive a certeza de que era ela! Nos relacionávamos super bem. Portanto, ela sabia que eu gostava dela e continuamos “tranquilas”. E as nossas brigas foram sendo mais frequentes, antes apenas nos desentendíamos e logo ficávamos bem. Éramos um grude. Um dia sem falarmos uma com a outra já era demais. Ficávamos mandando SMS de dia, a tarde e a noite. A gente sempre dava jeito de conversar pelo chat do Facebook. Enfim, era uma amizade mais que colorida, era purpurinada haha Quem visse as nossas conversas de horas e horas e o conteúdo, falaria que éramos namoradas. Sempre fomos intensas e carinhosas, o nosso amor era recíproco. Mas, infelizmente ela do nada começou a arrumar motivos sem pé nem cabeça para brigarmos… Até que um dia extrapolamos, ela parecia outra pessoa comigo.. tão fria, distante e seca, falamos coisas que nos magoaram, ela disse que queria se afastar, disse para darmos tempo ao tempo e eu então disse para que ela não voltasse mais a minha vida, de nenhuma maneira (pq ela me magoou muito, mentiu para mim, depois de todas as declaraões que me fez disse que não me gostava da mesma forma, e mesmo assim eu tentei contornar a situação, disse que a queria e ela disse que “não podia”), e ela disse que faria isso, e então nunca mais nos falamos.

        Eu estou com um nó na garganta. Eu não consigo acreditar que depois de tudo que passamos, que declaramos, dos momentos incríveis compartilhando amor, carinho, desejos, ela simplesmente decide acabar com tudo sem motivos cabíveis e colocar a situação como algo puramente inocente por parte dela… Eu to péssima pelo modo como tudo terminou. Nem tive muito tempo de me acostumar com a nova realidade, pois do nada ela se transformou e a partir da sua mudança radical tudo desmoronou. A perdi. E não demorou muito, a perdi de vez!

        Hoje eu prefiro me forçar a crer que ela realmente não me queria. Porque eu não engulo essa coisa de que “é pq eu tenho medo” “não tenho coragem” “não teremos futuro” “vou me apegar demais e vou sofrer” “a te fazer sofrer prefiro te deixar…”. Aff se você gosta da pessoa de verdade, eu acho que você pelo menos tenta e não desiste na primeira dificuldade. E não engulo isso de que “não quero te fazer sofrer” poxa, deixa o amanhã trazer as surpresas no tempo oportuno, viva o momento! E NADA poderia fazer sofrer mais do que não ter quem você quer ao lado, ou pelo menos na tua vida, presente de alguma maneira.

        Desta vez eu desisti sem querer desistir.Tentei muitas vezes trazê-la de volta, mas parece que ela não me ama mais. Estou acreditando à força!

  17. Rafaela disse:

    Carol, na verdade eu acho que de certa forma é uma demonstração de sentimento, uma forma de tentar chamar atenção. Se caso não existisse sentimento ela certamente seria indiferente e não ficaria encontrando motivos para briguinhas. É o que eu acho.
    beijos

    • Carol disse:

      Olá Rafaela! Olha, pode até ser que sim, mas mesmo assim eu não consigo entender essa “carência”. Visto que eu SEMPRE estive presente, dei atenção, sempre me importei até além da conta. Ela era muito querida, cuidada e amada por mim. E ela sabia disto. Eu nunca escondi o que sentia por ela. Não seria necessário ela tentar chamar a minha atenção dessa forma tão estranha… Pq eu sempre estive lá, com ela, a todo tempo. É certo que tivemos surtos, pitis, mas sempre tivemos uma à outra. Eu vejo que esta forma de chamar a atenção é o pior que alguém pode fazer. Porque se é que foi isso mesmo a intenção, foi a pior coisa que ela poderia ter feito para me ter mais do que já tinha e acabou me perdendo para sempre. Não posso entender isso. Não consigo engolir. Não consigo crer que ela foi capaz de falar o que me falou depois de tudo que partilhamos 😦
      Bjo Rafaela e obgda

    • Dany disse:

      E pq tanto desprezo e tanta lenga lenga, se foi ELA quem se aproximou primeiro da Carol ? Pq essa mudança repentina? Quem ama não despreza, a troco de q magoar a pessoa que “se gosta”? Só para atormentá-la ou pra testar o quanto a Carol gostava dela? Mas fez tudo isso pra nada! E se ela gostava da Carol, pq se auto boicotava com essa desculpa de” medo de se apegar demais e sofrer”? Quem realmente gosta arrisca tudo que puder em nome do amor q se sente, vai a luta, não cria conflitos gratuitos, nem cruza os braços, esperando a outra implorar q a quer!

      • Carol disse:

        Ai Dany, eu também não sei! Outra, a primeira a se aproximar fui eu (“pessoalmente”, diretamente). Depois de um tempo que a gente começou a se comunicar diariamente por email eu desisti por alguns motivos nossos em particular e ela veio atrás de mim, dizia que depois que perdeu que se deu conta que me queria verdadeiramente. Aconteceu o que aconteceu e antes dela me falar coisas que para mim me parecem inverdades, eu tentei conversar e disse para tentarmos, e ela se negou. Eu não a implorei, pelo menos não vejo desta forma. Vivemos por dilemas instáveis algumas vezes, quero dizer, ora eu desistia, ora ela desistia. Mas sempre voltávamos atrás depois dessas oscilações. Sabíamos que a nossa situação era delicada, a realidade nos fazia deduzir que não daria certo. Mas mesmo com os medos nós queríamos fazer valer. Pensar em desistir era uma fraqueza de momento. Obviamente que queríamos consumar o nosso desejo, nem que fosse às escondidas a princípio ou mesmo que uma única vez… Tínhamos a convicção dentro de nós de que em algum momento viveríamos essa história verdadeiramente. Estávamos bem próximas de nos encontrar. Faltava muito pouco, eu acho. Só que algo muito sério aconteceu/acontece com ela e que a detém ou simplesmente ela deixou de me gostar.
        Dany, os teus questionamentos são pertinentes, eu acho. Quem gosta deveria fazer o possível para não ferir o outro. Mas se ela realmente não me gosta mais,euí então aceitaria de boa que ela fizesse o que fez durante a briga. Porque não adianta dizer que ama/gosta se isso de fato não acontece. Melhor então ser verdadeiro. Porém, é aquilo que vc mesma disse; “a troco de q magoar a pessoa que “se gosta”?” Mas enfim, por mais que eu não tenha entendido essa atitude dela, eu respeito. Me indignei, mas ela tem o direito de optar por não tentar, desistir totalmente. Uma questão pessoal…

  18. Carol disse:

    Dany, eu te enviarei um email para responder a questão sobre o facebook. Bjo

  19. Rah! disse:

    Pois é, Carol… Estou de volta =D
    Andei sumida porque estava bem ocupada…
    Bom, pelo seu relato aí, penso que talvez ela esteja passando por algum problema. Não acho que ela se afastaria assim à toa! Talvez a ficha dela tenha caído sobre as dificuldades de se relacionar com alguém do mesmo sexo e talvez ela não esteja lidando bem com isso. É difícil prever a reação das pessoas, cada um tem uma maneira diferente de agir diante desta situação..
    Pode ter sido até um comentário maldoso dos pais ou dos amigos dela. Esse tipo de coisa mexe demais com a nossa cabeça!
    Enviarei um e-mail para vc. Se quiser conversar mais sobre o assunto, tentarei ajudá-la 😉
    Bjs.

  20. Carol disse:

    EntEndo, Rah!
    Te passo o email agora –> carol.meigaflor@gmail.com

    Até, guria ! Bj

  21. myinnerselves disse:

    Li o nome do post errado, ao invez de “idade” li “cidade” rsrs agora fiquei curiosa.. Qual a melhor cidade pra se assumir bissexual? Sao Paulo, Rio??

    • blogsoubi disse:

      Olha, nas duas cidades já há grandes redutos GLS. Mas tudo vai depender das pessoas à sua volta. Em ambas as cidades ja há muita gente com cabeça aberta ao mesmo tempo em que ainda existe muito preconceito. O Brasil só finge que é o país da liberdade…

  22. Sr. Gabriel R. disse:

    Tenho 13 anos e sou bi, tenho muito medo de assumir, pesquisei muito sobre bons jeitos para assumir para os meus pais, eu assumi pra todos meus amigos de escola e curso, e até alguns professores sabem, mas minha família não. Penso em assumir no meu aniversário ou até ser maior de idade com uma casa para eles não me botarem na rua, mas penso que um dia meus pais vão descobrir sozinhos, eles já suspeitam bastante. Não sou tão Bissexual, só gosto de Homens, mas não quero namorar homens, quero construir uma família, só quero que meus pais,irmãos, e outros parentes saibam que eu gosto de agir como gay, e que acho homens lindos…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s